PUBLICIDADE

Morumbis foi a grande sacada do São Paulo em 2023

Fugindo do convencional estilo de Naming Rights, direito de propriedade nominal vai render milhões em um curto período de tempo.

31 dez 2023 - 06h37
Compartilhar
Exibir comentários
Morumbi, a casa do São Paulo, vai ganhar um "s" a mais pelos próximos 3 anos.
Morumbi, a casa do São Paulo, vai ganhar um "s" a mais pelos próximos 3 anos.
Foto: Igor Amorim/São Paulo FC / Esporte News Mundo

A ideia é boa: colocar uma marca sem alterar o nome do estádio. O Morumbi segue preservado, mas vai ganhar um "s" a mais e também vários cifrões. Não que o atual campeão da Copa do Brasil, a competição nacional que melhor paga as premiações, esteja com dificuldades financeiras, longe disso. Só que para começar a temporada e buscar títulos, dinheiro sempre é bom. Indiscutível e historicamente comprovado, embora não seja a solução. 

A questão é que o acordo entre o São Paulo e a multinacional estadunidense de alimentos Mondelez vai durar apenas 3 anos, até o final de 2026. É um período curto que pode servir de teste para, quem sabe, uma renovação no futuro e também como uma rápida forma de adquirir mais renda para o cofre tricolor. Com a possibilidade de lucrar 30 milhões de reais por ano, o contrato foge do tradicional. Nos demais estádios internacionais, o acordo dura cerca de 10 anos e pode alterar completamente o jeito que chamamos o local.

Além disso, o São Paulo movimentou os bastidores nos últimos seis meses fechando também com a empresa Live Nation, produtora de shows importantes como U2, Madonna e Coldplay. Durante 5 anos, o espaço também será utilizado para a realização de mais shows e deve render cerca de 1 milhão de reis por mês para o clube. Para completar, a confirmação da reforma do estádio até 2030. O Morumbi ficou atrás de outros pela falta de modernização, exemplo disso são os ingressos que ainda são de papel. Até o ano do centenário São Paulino, o acordo com a WTorre irá trazer uma nova cara, ainda mais confortável para os torcedores.

O tricolor paulista tem tudo nas mãos para, nesse quesito, voltar a ficar entre os mais tecnológicos estádios do Brasil. Sem falar da ideia principal que é conversar com o público mais jovem. Será uma mistura de futebol e música; grandes shows e um ano de 2024 já confirmado na Libertadores, série A e na Copa do Brasil no estádio. Aguardem as reclamações sobre o gramado, mas sabendo que a reordenação das contas do clube tem boas perspectivas para o futuro.

Fonte: Fernanda Arantes Fernanda Arantes é apresentadora, narradora e repórter esportiva. Com passagens pelas afiliadas da Rede Globo e pelo SBT, atualmente ela se destaca nas transmissões pela internet. As visões da colunista não representam a visão do Terra.
Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade