PUBLICIDADE

Contra tudo e contra todos, Luxemburgo leva o Corinthians a mais uma semifinal

Técnico errou na escalação e acabou dominado pelo Estudiantes, mas foi salvo por Cássio, que mantém time vivo na Sul-Americana

30 ago 2023 - 00h24
Compartilhar
Exibir comentários
Vanderlei Luxemburgo teve mais sorte que juízo em La Plata
Vanderlei Luxemburgo teve mais sorte que juízo em La Plata
Foto: Marcello Zambrana/Agif/Gazeta Press

A escalação infeliz de Vanderlei Luxemburgo, com Ruan Oliveira no lugar de Yuri Alberto e Renato Augusto perdido jogando de costas para o gol, além da atuação abaixo da crítica no primeiro tempo, por pouco não custaram a classificação do Corinthians, que foi amassado, bombardeado e derrotado pelo Estudiantes, mas buscou a vaga na semifinal da Copa Sul-Americana nos pênaltis.

Com 30 finalizações e quatro bolas na trave, os argentinos cometeram o grande pecado de ignorar que, no gol do Corinthians, havia Cássio, o goleiro que cresce – ainda mais – em momentos decisivos. No tempo normal, o gigante já havia parado o badalado Rollheiser. E, nos pênaltis, defendeu a cobrança do artilheiro do Estudiantes. Outras duas ficaram no travessão.

Depois de abrir o placar com menos de um minuto de jogo, o Estudiantes pressionou, martelou e teve volume ofensivo suficiente para golear o Corinthians. Graças a Cássio, ao capricho das bolas que bateram na trave e à atuação resiliente da dupla Gil e Veríssimo, a equipe alvinegra se abraçou ao regulamento para levar a decisão às penalidades.

Muito pressionado pelas fracas atuações coletivas, Luxemburgo amarga apenas a segunda derrota nos últimos 16 jogos. O roteiro foi parecido ao da eliminação na semifinal da Copa do Brasil para o São Paulo, com a diferença de que, ao contrário do duelo no Morumbi, o Corinthians sai classificado da Argentina.

O treinador, vencedor pelo clube num passado distante, voltou ao comando com a missão de contenção de danos após a infame e curtíssima passagem de Cuca. Tem sofrido com a perda de jogadores importantes do elenco, como Roger Guedes, até então a principal referência do time na temporada, Adson e, mais recentemente, o bom zagueiro Murillo.

Dentro desse contexto, tanto do clube quanto da carreira do técnico, é uma utopia acreditar que Luxa trará revoluções táticas ou alcançará nível de excelência para transformar um elenco remendado em potência coletiva. O mais realista é o que se vê em campo: avanços a solavancos.

Foi assim que o Corinthians garantiu a vaga na semifinal da Sul-Americana. É assim que Luxemburgo se segura no comando e mantém as chances de título para salvar uma temporada acidentada. Salvo pela trave e por Cássio, que chega a 32 pênaltis defendidos com a camisa alvinegra. Massacrado pelo adversário e pela torcida. Mas resistente às condições desfavoráveis de um clube tão caótico quanto a atuação do time em La Plata.

Fonte: Breiller Pires Breiller Pires é jornalista esportivo e, além de ser colunista do Terra, é comentarista no canal ESPN Brasil. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade