PUBLICIDADE
Logo do Seleção Brasileira

Seleção Brasileira

Favoritar Time

Endrick admite evolução e diz não se importar com opiniões externas

Endrick também expressou sua vontade de ser titular pela primeira vez com a seleção, mas acredita que a oportunidade virá no momento certo. O jovem ainda falou sobre a troca de experiências com os jogadores mais experientes, o peso da camisa 9 e sua relação com Neymar

21 jun 2024 - 19h24
(atualizado às 19h24)
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Reprodução CBF TV / Esporte News Mundo

Em entrevista coletiva na seleção brasileira, Endrick falou sobre seu amadurecimento, principalmente na parte mental de como lidar com as críticas e elogios. O atacante de 18 anos, admitiu que isso já o afetou, mas é uma questão superada. Hoje, seu foco é ajudar a equipe da melhor forma possível e ver sua família feliz.

Endrick também expressou sua vontade de ser titular pela primeira vez com a seleção, mas acredita que a oportunidade virá no momento certo. O jovem ainda falou sobre a troca de experiências com os jogadores mais experientes, o peso da camisa 9 e sua relação com Neymar, que estará nos Estados Unidos acompanhando o Brasil na Copa América. Veja os principais trechos da entrevista coletiva:

Sobre as provocações dos adversários

"Eu sempre fui muito precoce na minha carreira e na minha vida. Desde que eu subir um profissional eu jogava com adversários que ficavam falando sempre no meu ouvido sempre, ficavam me cutucando, sempre me xingando falando da minha família ou da minha namorada, ou do meu irmão. Eu creio que isso é o certo para o futebol, tem que desestabilizar o outro atleta, mas graças a Deus eu me acostumei muito rápido com isso."

Sobre o momento que receberá a primeira oportunidade como titular da seleção brasileira

"Somente Deus sabe, eu agradeço muito a Deus por ter um primeiro treinador como foi o Abel, ele sabia o tempo de me colocar. Eu sou um garoto Cristão e eu espero tudo no tempo de Deus e tudo no tempo do Professor Dorival também."

Sobre sua relação com Dorival e posição preferida no campo

"Eu quero jogar, quero ajudar do jeito que for. Seja jogando de meia, de atacante, jogando aonde onde ele (Dorival) ver que eu possa ajudar o Brasil. A gente conversa todos os dias, seja no almoço onde ele vai cumprimentar todos os atletas, ou seja, no treino ou quando acaba o treino ele vai trocar uma resenha com a gente ou conversa lá no final. Eu fico muito feliz de estar aqui dentro, são jogadores espetaculares, você vê o todos os atacantes que tem aqui, são atacantes de alto nível que todos têm capacidade de estar lá dentro do time titular. Mas para ser bem sincero como eu falei, eu tive um treinador que foi o Abel que me ensinou muitas coisas e sempre coloquei na minha cabeça que nunca tem time titular, que o time que começou o campeonato não vai ser o que vai terminar."

Sobre lidar com a pressão e o amadurecimento mental

"Eu sempre falava que antes eu ligava muito para pressão, tinha aquela coisa na minha cabeça de que eu tenho que fazer isso, eu tenho que fazer aquilo, eu tenho que fazer gol, tenho que corresponder às expectativas de vocês ou tenho que deixar todo mundo feliz. Como eu falei, depois que mudei minha mentalidade, eu não ligo mais para pressão, não ligo mais para o que vocês falam, com quem vocês me comparam, não ligo mais para o que vocês pensam. E sim, o que minha família tá pensando, se a minha família realmente está feliz e se meu irmãozinho está feliz. "

Sobre usar a camisa 9 da seleção brasileira na Copa América

"Fiquei muito feliz, é um número que todo atacante sonha em vestir, mas também não ligo muito para número. Como eu falei, eu quero estar jogando, não importa se seja com a 21, que usei na minha estreia, ou seja com a 16, que usei no Palmeiras."

Sobre a importância da Copa América para a seleção brasileira

Foi o que o Danilo falou pra gente, creio que todos vocês aqui, o sonho de garoto era vestir uma camisa da seleção brasileira. Era um sonho e quando a gente vem para cá não é diferente. Então não importa se é Copa América, se é eliminatória, se é Copa do Mundo. Todos os jogos vão ser importante para nós e óbvio que um campeonato tão importante como esse, que é de quatro em quatro anos, é um dos campeonatos mais importantes para gente, se não for o mais importante nesse tempo. Óbvio que tem a Copa do Mundo depois, tem as eliminatórias, mas todos os jogos para são importantes para nós. A gente sempre procura fazer bons jogos e ganhar pro Brasil."

Sobre a importância da Copa América para sua carreira

"Para mim, por ser o meu primeiro campeonato com a seleção, não tem campeonato mais importante. E isso é bom para mim porque como eu já falei em todas as minhas entrevistas, sou um garoto Cristão e não sei o que vai acontecer no dia de amanhã. Amanhã posso estar morto, amanhã pode acontecer alguma coisa comigo, então para mim o campeonato mais importante da minha vida agora é a Copa América. Vou fazer de tudo para poder conquistá-la e levar esse troféu pro Brasil."

Sobre sua relação com Neymar

"Neymar tem o fato curioso, eu tava ali com o Marquinhos na fiso e acho que o Neymar ou o Marquinhos ligou, se ligaram ali, conversaram e só de ouvir a voz do Neymar ali eu fiquei feliz. Pude falar com o Neymar fora dos gramados, fora da seleção e fico muito contente, porque é um cara que eu via jogar no Santos, vejo ele jogar hoje no Al-Hilal. Infelizmente ele está lesionado, mas o Neymar é um cara fenomenal, um cara que você se inspira muito nele dentro de campo."

"Fico muito feliz dele estar aqui, espero que eu possa encontrar ele, tirar uma foto com ele, posso pedir uns conselhos, porque ele já viveu muita coisa nessa vida. Muita coisa que foi difícil, mas ele é um cara muito forte. É um exemplo de pai também, um cara que tá sempre com seus filhos, eu creio que são exemplos que devem ser seguidos."

Esporte News Mundo
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade