PUBLICIDADE

Playoffs NBB: Bauru (5º) x (12º) Caxias do Sul

Bauru conta com amplo favoritismo no duelo contra Caxias pelos playoffs do NBB; vencedor enfrenta o Paulistano

19 abr 2021
0comentários
Publicidade

Confrontos na temporada: Bauru 2 x 0 Caxias do Sul

Bauru Caxias NBB
Bauru Caxias NBB
Foto: Reprodução/NBB / Jumper Brasil

20/11 - Bauru 74 x 54 Caxias do Sul

27/01 - Caxias do Sul 63 x 71 Bauru

21/04: Caxias do Sul x Bauru - 16h - com transmissão do Facebook do NBB e TV Brasil

23/04: Bauru x Caxias do Sul - 17h - com transmissão da ESPN

25/04: Bauru x Caxias do Sul - Horário a ser definido *

* Se necessário

Horários de Brasília

Foto: Wilian Oliveira

A chegada da Zopone como nova patrocinadora do Bauru Basket proporcionou que a equipe montasse um elenco estrelado para a disputa do NBB 2020/21. A equipe "repatriou" Alex Garcia, eleito melhor defensor da última temporada do Novo Basquete Brasil, além de fechar com o pivô Dikembe (revelação de 2019/20), o armador Alexey Borges e o ala-pivô Tyrone Curnell. Eles se juntaram a nomes conhecidos da torcida bauruense, como Larry Taylor e Gabriel Jaú. Para comandar esse timaço veio Léo Figueiró, campeão da Sul-Americana com o Botafogo.

O início foi extremamente promissor. Alexey Borges encaixou feito uma luva na equipe e chegou a figurar entre os cinco primeiros da corrida para o MVP Jumper Brasil. A equipe venceu os seis primeiros jogos e era favorita por uma vaga no G4, que garantiria uma folga na primeira rodada dos playoffs. O coletivo empolgou, apesar da temporada decepcionante de Dikembe, mas o Bauru sofreu com lesões e escorreu em jogos importantes, o que fez com que ficasse na 5ª posição geral.

Apesar dos problemas, o Bauru teve o sétimo melhor ataque (82.1) e foi a quinta equipe de melhor eficiência do NBB. Gui Deodato explodiu no segundo turno e assumiu a posição de cestinha do time (14.5) na temporada, mas Alex, Alexey, Tyrone e Zach Graham também ficaram com médias superiores a dez pontos por jogo. Do outro lado da quadra, o time bauruense teve a segunda melhor defesa (76.1) do Novo Basquete Brasil, especialmente pelo forte índice de bolas recuperadas nas partidas. Outro detalhe: os times de Léo Figueiró costumam crescer em momentos decisivos.

Foto: Reprodução/NBB

Após duas temporadas longe do NBB, o Caxias do Sul voltou para a maior competição do basquete nacional. Logo de cara o time gaúcho conquistou vaga nos playoffs - a segunda em quatro participações - e surpreendeu com um basquete competitivo dos dois lados da quadra. Apesar de apenas nove vitórias, a equipe de Rodrigo Barbosa teve bons momentos na temporada, especialmente as duas vitórias contra o Corinthians. Além de fazer jogos duros contra São Paulo, Flamengo, Minas, Bauru e Paulistano.

O argentino Nico Ferreyra foi o grande nome do Caxias no primeiro turno. O armador comandou a equipe com 11.5 pontos, 3.7 assistências e 45.5% de aproveitamento nas bolas de três pontos. Outro nome de destaque foi Túlio da Silva, que atuou quatro temporadas na NCAA antes de retornar ao Brasil. Emprestado pelo Flamengo, o ala-pivô teve algumas atuações apagadas, mas finalizou a primeira fase com 12 pontos e 5.3 rebotes. Por fim, os veteranos Antonio, Eddy, Pedro Teruel e Shilton também tiveram participação importante no retorno do Caxias ao NBB.

A equipe de Rodrigo Barbosa chega aos playoffs com a difícil missão de bater um dos favoritos da competição. Se depender do desempenho na primeira fase, o torcedor caxiense pode ficar preocupado. A equipe foi a que menos recuperou bolas, deu tocos e conquistou rebotes na competição. Além disso, figurou na parte de baixo da tabela quando o assunto são as assistências e foi a 7ª que mais desperdiçou bolas em erros. A equipe depende da individualidade e lampejos de brilhos de seus jogadores, o que pode ser pouco para um confronto contra o Bauru.

Não há absolutamente nada que indique uma série equilibrada entre Bauru e Caxias do Sul. O time paulista venceu os dois jogos da primeira fase sem muitos problemas. O primeiro jogo terminou com uma vantagem de 20 pontos, enquanto no segundo o time gaúcho conseguiu igualar um pouco a partida com um primeiro quarto surpreendente. Além disso, o elenco do Bauru é um dos mais talentosos deste NBB, o que faz da equipe uma das favoritas para chegar, no mínimo, as semifinais.

O Caxias do Sul mostrou evolução no final da temporada regular e venceu dois dos últimos cinco jogos, além de equilibrar os confrontos contra Minas e Fortaleza Basquete Cearense. O crescimento dentro de quadra é visível, porém tardio. A equipe deve continuar forçando as bolas de três, apesar do aproveitamento apenas mediano de longa distância. No garrafão, Shilton e Túlio da Silva precisam ser mais eficientes nos rebotes, para garantir segundas chances para o time gaúcho.

Do outro lado, os comandados de Figueiró venceram sete dos últimos dez jogos. As derrotas vieram para Flamengo e Minas - líder e vice-líder - e o surpreendente Mogi. Com um elenco muito mais equilibrado que os adversários, o Bauru deve continuar apostando na coletividade para ter sempre a melhor opção disponível para o chute. Alex Garcia ficará responsável pela marcação do principal jogador do Caxias, o que deve dificultar ainda mais a vida do time do sul. Alexey, Gui Deodato, Gabriel Jaú, Zach Graham e Tyrone Curnell estarão a postos quando o time precisar.

Em suma, qualquer coisa que não seja uma varrida nesta série será uma surpresa. Em seu retorno ao NBB o Caxias pode se sentir orgulhoso de chegar aos playoffs e montar uma base sólida para a próxima temporada. O Bauru, por sua vez, precisa acabar logo com a série para chegar descansado nas quartas-de-final do Novo Basquete Brasil.

Palpite: Bauru 2 x 0 Caxias do Sul

Jumper Brasil
Publicidade
Publicidade