PUBLICIDADE

Vettel critica reprimenda da F1 por camisa com arco-íris e diz: "Faria de novo"

Sebastian Vettel foi um dos pilotos que não tirou camisa com mensagem de cunho político-social durante o hino húngaro. O alemão recebeu uma reprimenda, mas deu de ombros

1 ago 2021 15h08
ver comentários
Publicidade
Sebastian Vettel levou seu arco-íris ao pódio na Hungria
Sebastian Vettel levou seu arco-íris ao pódio na Hungria
Foto: Aston Martin / Grande Prêmio

O grande GP da Hungria de Sebastian Vettel neste domingo (1°) terminou com uma passagem pela sala da direção de prova. O alemão recebeu reprimenda por usar camisa com arco-íris durante a execução do hino húngaro. Nada que chateie o tetracampeão, convicto de que fez o certo ao sair em defesa da comunidade LGBTQIA+.

A reprimenda foi dada a Vettel e a Lance Stroll, Valtteri Bottas e Carlos Sainz Jr. Os quatro estavam com camisas referentes à campanha We Race As One e não as tiraram antes do hino húngaro. No caso da punição ao alemão, há um simbolismo inevitável: a Hungria tem leis de cunho homofóbico e um governo altamente conservador.

"Eu ouvi falar que é porque eu continuei com a camisa durante o hino nacional", disse Vettel sobre a investigação, que levou à reprimenda. "O que vocês acham disso? Eu fico feliz se me desclassificarem. Eu fico feliz se… eles podem fazer o que quiserem. Não me importo, faria de novo", seguiu.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Sebastian Vettel chegou ao Hungaroring com um arco-íris no capacete em defesa dos direitos LGBTQIA+
Sebastian Vettel chegou ao Hungaroring com um arco-íris no capacete em defesa dos direitos LGBTQIA+
Foto: Aston Martin / Grande Prêmio

A camisa em questão tinha as cores do arco-íris e a escrita 'Same Love' - 'Amor Igual', em tradução livre. Vettel foi ao pódio, onde não pôde usar a camiseta, contentando-se com o uso de uma máscara colorida.

Direitos LGBTQIA+ se tornaram um tema central na Hungria, muito por manifestações de Vettel e de Lewis Hamilton. O país ganhou manchetes ao aprovar em junho um veto a "propaganda homossexual e transsexual", supostamente para proteger menores de idade.

"Eu mantive a camisa durante o hino nacional para apoiar as pessoas que sofrem nesse país. Eles fazem leis que, ao invés de proteger crianças, provavelmente ameaçam e comprometem o crescimento", comentou Vettel.

O GP da Hungria teve vitória inesperada de Esteban Ocon. Vettel foi o segundo colocado, com Lewis Hamilton completando o pódio.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade