PUBLICIDADE

FIA adia para GP da Bélgica introdução de novas regras de pit-stops na Fórmula 1

A diretiva técnica da FIA sobre pit-stops na Fórmula 1 será introduzida no GP da Bélgica. A medida gera opiniões divergentes no grid

26 jul 2021 10h05
ver comentários
Publicidade
A Red Bull criticou a mudança que a Fórmula 1 vai realizar no procedimento de pit-stops
A Red Bull criticou a mudança que a Fórmula 1 vai realizar no procedimento de pit-stops
Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Previstas inicialmente para entrarem em vigor no GP da Hungria, neste fim de semana, as novas regulamentações técnicas de pit-stop da Fórmula 1 farão parte da categoria apenas a partir do GP da Bélgica, a partir do fim de agosto, no intuito de dar mais tempo às equipes para se adaptarem aos ajustes. Firmada em acordo com as equipes do grid, a nova diretiva técnica tem como premissa tornar os pit-stops mais seguros. Com isso, naturalmente, os tempos de parada serão maiores.

A intenção da nova diretiva técnica é adicionar diversos atrasos no processo do pit-stop, buscando reduzir a chance dos carros voltem para a pista sem alguma das rodas totalmente presas. A regra TD22A, refere-se ao artigo 12.8.4 do regulamento técnico da FIA, impondo restrições nos equipamentos de pit, que esclarece que "os dispositivos que são usados para instalar ou remover os fechos das rodas só podem ser alimentados por ar comprimido ou nitrogênio. Qualquer sistema de sensor só pode agir passivamente."

Entre os detalhes, a FIA definiu quando o sinal pode ser dado que a porca foi totalmente apertada. E só a partir desta autorização que a equipe pode prosseguir com a liberação do carro de volta para a pista. A nova diretiva também determina que as reações dos mecânicos devem estar acima de um tempo mínimo. Se um reage à conclusão do processo de pit-stop em menos de 0s15, o sensor registrará como inválido e vai exigir a repetição da operação.

Os sensores das equipes também permitem que os mecânicos se comuniquem quando cada processo do pit-stop for concluído. Uma vez que a troca for concluída nas quatro rodas, o "semáforo" do time indica se o carro pode ser liberado. A nova diretiva afirma que 0s2 devem passar entre o último sinal da troca e a liberação dos pilotos para sair.

A Red Bull criticou a mudança que a Fórmula 1 vai realizar no procedimento de pit-stops
A Red Bull criticou a mudança que a Fórmula 1 vai realizar no procedimento de pit-stops
Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Em entrevista veiculada pela revista britânica Autosport, Andreas Seidl, chefe de equipe da McLaren, se mostrou entusiasmado com as mudanças que estão por vir.

"Houve uma atualização na diretiva técnica. Foi baseada no feedback que a FIA coletou após o envio inicial para análise das equipes. O que faz mais sentido do nosso ponto de vista", disse Seidl.

"O principal objetivo desta diretiva técnica é assegurar que as paradas aconteçam de forma segura, antecipando a possibilidade de que coisas ruins aconteçam. O segundo objetivo é assegurar que estaremos em uma igualdade de condições na aplicação do regulamento. Dessa forma, estamos contentes com ela. A porta está aberta para novas mudanças para o próximo ano", comentou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Com nova diretiva técnica em vigor, pit-stops da Fórmula 1 serão mais lentos
Com nova diretiva técnica em vigor, pit-stops da Fórmula 1 serão mais lentos
Foto: F1/Twitter / Grande Prêmio

Já Christian Horner, chefe da Red Bull, e um dos principais prejudicados pelas mudanças, não vê com tanta alegria as mudanças propostas. Dominante no quesito nos últimos anos e nesta temporada, a Red Bull se vê um pouco prejudicada por conta das alterações, que nivelaram os tempos de troca de pneus em todo o grid.

"Temos de lembrar que a responsabilidade é do competidor, que tem de manter as quatro rodas seguras. A punição por descumprir isso é ter que parar o carro, retirando-o da corrida imediatamente. Essa é a punição brutal no caso de não ter as quatro rodas posicionadas da maneira correta. Mas não sei quanto a introduzir atrasos artificiais e tudo mais", disse o britânico.

"Os pit-stops têm sido um elemento emocionante. Pode um grupo de pessoas trocar quatro pneus em menos de 2s? Demonstramos que é possível com nossos recordes mundiais, mas agora isso será diluído", concluiu o chefe taurino.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade