PUBLICIDADE

Como fracasso na McLaren ajudou sucesso rápido da Honda com Red Bull

Depois de um passado com erros, Toyoharu Tanabe, diretor-técnico da Honda, reconheceu a melhora da montadora japonesa e a grande ajuda que foi para Red Bull na temporada de 2021

28 jul 2021 04h47
ver comentários
Publicidade
A Honda decidiu que vai deixar a Fórmula 1 após a temporada 2021
A Honda decidiu que vai deixar a Fórmula 1 após a temporada 2021
Foto: Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Mesmo após o revés na Inglaterra, a Red Bull aprimorou seu desempenho desde o GP de Mônaco, quando abriu uma surpreendente vantagem de cinco vitórias - quatro de Max Verstappen e uma de Sergio Pérez -, além da liderança do campeonato de Construtores e Pilotos. Grande parte desse melhor desempenho tem a ver com o motor Honda, que está se mostrando muito confiável, por enquanto, de acordo com Toyoharu Tanabe, diretor-técnico da montadora japonesa - e isso também se dá por ter aprendido com os erros do passado, com a McLaren, por exemplo.

"Aprendemos muito com nosso fracasso", disse Tanabe, em entrevista à BBC. "Precisávamos de tempo para resolver nossos problemas. Sentimos uma espécie de limitação e então fizemos uma grande mudança para este ano."

"Do lado da Honda, fizemos uma boa melhoria em termos de desempenho. Melhoramos tanto no motor de combustão interno quanto no desempenho elétrico", seguiu.

"Nos anos anteriores sempre víamos a Honda perder velocidade no final da reta. Isso é um déficit para os tempos de volta e também para as ultrapassagens. Essa era a nossa fraqueza, então tentamos emparelhar com os outros competidores", acrescentou.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Pérez teve fim de semana difícil, mas alcançou a maior velocidade na Inglaterra, há duas semanas
Pérez teve fim de semana difícil, mas alcançou a maior velocidade na Inglaterra, há duas semanas
Foto: Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Tanabe lembra, no entanto, que a Red Bull solicitou uma série de modificações para o motor que eles acreditavam que iria melhorar o desempenho geral do carro. Por isso, ele afirmou que esses pedidos nem sempre podem ser correspondidos.

"Não podemos fazer tudo o que eles pedem", explicou o diretor. "Mas a integração do chassis e da unidade de força fez uma boa melhoria".

Vale lembrar que, como a Honda já anunciou que deixará a F1 no final da temporada de 2021, a Red Bull faz todos os investimentos para ser sua própria fornecedora de motores de 2022 em diante. O plano do grupo dos energéticos é o de dar sequência ao programa de desenvolvimento de unidades de potência da Honda até 2025, através de uma nova empresa chamada Red Bull Powertrains Limited.

Red Bull acusa Mercedes de lóbi e pede isolamento dos comissários durante corridas

Mas, pelo menos até 2022, os motores continuarão a ser construídos na base da Honda em Sakura, no Japão, antes que esse trabalho seja assumido pela nova base de motores da Red Bull em Milton Keynes. Alguns funcionários da Honda também continuarão trabalhando na F1.

"Eles acreditaram na Honda, então temos que retribuir algo a eles. Terminaremos nosso projeto de F1 em 31 de dezembro deste ano. No entanto, recebemos o pedido da Red Bull e da AlphaTauri, dizendo que eles querem ser competitivos, então querem que cooperemos. Portanto, nós agora estamos discutindo como cooperar com eles para mantê-los competitivos", concluiu.

A Fórmula 1 volta neste fim de semana do dia 1º de agosto com o GP da Hungria que encerra a primeira parte da temporada e abre o recesso de verão.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade