PUBLICIDADE

Palou brilha em estreia pela Ganassi e vence primeira na Indy no Alabama. Grosjean é 10º

Álex Palou teve um debute dos sonhos pela Ganassi e abriu a segunda temporada na Indy com a primeira vitória na categoria no GP do Alabama. Will Power e Scott Dixon fecharam o pódio, na frente de Pato O'Ward

18 abr 2021
18h38 atualizado às 19h05
0comentários
18h38 atualizado às 19h05
Publicidade
Álex Palou venceu no Alabama
Álex Palou venceu no Alabama
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

A primeira vitória de Álex Palou na Indy chegou. Neste domingo (18), o catalão estreou em grande estilo pela Ganassi, segurando Will Power e conquistando o triunfo no GP do Alabama. Scott Dixon completou o pódio, na frente de um Pato O'Ward que viu as chances escaparem por uma estratégia ruim de pit-stops.

Foi a primeira vitória da Espanha na Indy em 16 anos, desde o triunfo de Oriol Servià, em Montreal, na temporada 2005 da CART. Ainda, apenas o segundo triunfo do #10 da Ganassi nos últimos seis anos e o primeiro da Ganassi no Alabama.

Sébastien Bourdais, Rinus VeeKay e Graham Rahal tiveram corridas bem parecidas. Os três escaparam de um acidente forte na largada e fizeram belíssimas reações, chegando em quinto, sexto e sétimo, respectivamente.

Marcus Ericsson ficou sem combustível no fim e acabou em oitavo depois de bela prova, seguido por Alexander Rossi, outro a tomar uma estratégia de paradas bem equivocada. O top-10 ainda teve Romain Grosjean, mesmo prejudicado nos boxes duas vezes por trabalhos ruins da Dale Coyne.

O começo de campeonato foi tenebroso para Josef Newgarden. Favorito ao título e à vitória em Barber, o americano rodou logo na primeira volta e provocou um 'big-one' gigantesco que também tirou Colton Herta, Ryan Hunter-Reay e Felix Rosenqvist da prova.

A próxima etapa é já no fim de semana que vem, com o GP de São Petersburgo, em pista de rua, no domingo (25).

Álex Palou venceu no Alabama na estreia pela Ganassi
Álex Palou venceu no Alabama na estreia pela Ganassi
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

Confira como foi o GP do Alabama

A largada do GP do Alabama acontece às 16h42 (em Brasília), com um estrago gigantesco acontecendo logo na primeira volta. Josef Newgarden, favorito ao título e especialista em Barber, perdeu o carro, rodou para o meio do traçado e foi acertado violentamente em um 'big-one' gigantesco.

GUIA INDY 2021

+ Grid cheio, Penske e Ganassi em expansão: as equipes e pilotos da Indy

+ Enzo Fittipaldi troca Europa por Estados Unidos e mira título na Pro 2000

+ Novatos 'fakes', Johnson e McLaughlin encaram realidades distintas

Colton Herta acertou o piloto da Penske, bem como Ryan Hunter-Reay. E aí a confusão continuou com Max Chilton e Felix Rosenqvist se achando, Dalton Kellett, Rinus VeeKay, James Hinchcliffe e Jimmie Johnson também tocando e, claro, uma bandeira amarela que certamente demoraria muito.

O tamanho do impacto foi rapidamente identificado: nada menos que quatro carros abandonando a corrida na primeira volta, entre eles os favoritos Newgarden e Herta, além de Hunter-Reay e Rosenqvist. VeeKay foi aos boxes, mas conseguiu voltar, o mesmo ocorrendo com Chilton, duas voltas atrasado, com 20 pilotos na pista.

Josef Newgarden durou poucos metros na estreia
Josef Newgarden durou poucos metros na estreia
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

Enquanto os destroços de todo mundo eram retirados do traçado, Pato O'Ward seguia na liderança, com Alexander Rossi, Álex Palou, Will Power, Scott Dixon, Marcus Ericsson, Romain Grosjean, Conor Daly, Scott McLaughlin e Jack Harvey atrás.

A relargada finalmente aconteceu na volta 8, com O'Ward disparando tranquilo na frente. Rossi e Palou saíram atrás, mas quase buscaram o mexicano algumas curvas depois, com Pato espalhando na terra e perdendo bastante ritmo.

A aventura de Johnson não começou exatamente bem. A lenda da Nascar foi ultrapassada por VeeKay, perdeu o controle e rodou absolutamente sozinho, chamando a segunda bandeira amarela do dia na volta 10. O americano voltou para a corrida com ajuda do resgate.

A Indy abriu 2021 com um grande acidente
A Indy abriu 2021 com um grande acidente
Foto: Reprodução/TV / Grande Prêmio

A nova relargada acontecia na 13ª volta, com Palou indo para cima de Rossi, que novamente deixava O'Ward escapar um pouco. Dixon e Ericsson saíam bem e apertavam Power pelo quarto lugar, enquanto Grosjean seguia tranquilo em sétimo.

18 pilotos vinham na mesma volta, com Johnson e Chilton retardatários ganhando a companhia de Rosenqvist, que retornava 11 voltas atrás dos demais, tentando somar alguns pontinhos para o campeonato.

Simon Pagenaud abria a rodada de paradas mais comuns na volta 17, após um início de corrida um tanto discreto, mesmo que ganhando algumas posições em relação ao que fez na classificação. No 18º giro, O'Ward e Rossi foram juntos para os boxes e por ali mantiveram a ordem de posições, ainda que a Andretti tenha sido um pouquinho mais veloz.

Enquanto os ex-líderes iam ganhando terreno lá do fundo depois das paradas, Palou começava a desgrudar de Power e de Dixon na dianteira. O espanhol dava sinais claros de que poderia, naquele ritmo, conseguir voltar em ótima condição depois do primeiro pit-stop.

A primeira janela de paradas seguia aberta na 27ª volta, com outros pilotos bem colocados indo aos boxes. Hinchcliffe, que vinha pelo meio do pelotão, teve uma visita mais longa no pit-stop, precisando de ajustes na traseira.

Com um terço de corrida, Palou liderava com 6s7 de frente para Power. Os primeiros dez vinham todos na mesma tática, de um stint mais longo. Eram eles, além de Palou e Power: Dixon, Ericsson, Grosjean, Rahal, Sébastien Bourdais, VeeKay, Jack Harvey e Dalton Kellett.

Palou finalmente parava na volta 31, trocando os pneus macios pelos duros e voltando bastante na frente de O'Ward e Rossi, dando todos os sinais de que virava, ali, o favorito parcial ao triunfo. Dixon e Ericsson foram aos boxes no 33º giro, ambos retornando atrás de Rossi.

Simon Pagenaud teve um início absolutamente discreto
Simon Pagenaud teve um início absolutamente discreto
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

Power e Grosjean foram para o pit-stop na volta seguinte, o que promoveu Rahal, Bourdais e VeeKay para a dianteira provisória. Aí, no 35º giro, um momento crucial na corrida: O'Ward foi para cima de Palou e fez a manobra com estilo, por fora, sem tomar conhecimento do rival em uma briga que, teoricamente, valia a liderança virtual.

Bourdais e Veekay finalmente paravam na volta 37, junto com Kellett, fechando a janela de pit-stops. Então, a ordem da corrida voltava a ficar mais estabelecida: O'Ward, Palou, Rossi, Power, Dixon, Ericsson, Bourdais, Rahal, McLaughlin e VeeKay, com Grosjean em 14º e Pagenaud em último dentre os pilotos na mesma volta, já abrindo a segunda janela de paradas.

O ritmo de O'Ward com os pneus duros era muito melhor que o de Palou e Rossi. Tanto que o mexicano da McLaren passava a volta 42 com 5s5 para o catalão da Ganassi e 6s3 para o americano da Andretti. Power vinha bem atrás, ainda preocupado com o avanço de Dixon.

Pato parou pela segunda vez no giro seguinte, acompanhado por Rossi. E aí, quando o mexicano voltou para a pista, se meteu em confusão. Bourdais colocou de lado, O'Ward espalhou, ambos tocaram e o #5 perdeu não só o quinto lugar, mas também o sexto para Rahal.

Romain Grosjean andou no grupo da frente
Romain Grosjean andou no grupo da frente
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

Novamente, Palou ia crescendo de desempenho enquanto o tanque de combustível ia ficando mais vazio, enquanto que O'Ward perdia rendimento com o carro pesado. O espanhol vinha 7s8 na frente de Power, liderando a corrida, com Dixon e Ericsson muito perto do australiano.

A corrida entrava em um momento de marasmo em que o cenário era o seguinte: a estratégia de parada cedo de O'Ward e Rossi funcionaria ou Palou sairia em vantagem ao esticar seus stints? Depois de 55 voltas, Álex tinha 7s3 para Power, 8s4 para Dixon, 9s5 para Ericsson e 19s4 na frente de Bourdais, que puxava colados Rahal, VeeKay, O'Ward, Rossi e Grosjean.

O ritmo de Palou ia caindo consideravelmente, com Power, Dixon e Ericsson já aparecendo ali no retrovisor do #10 da Ganassi. Para O'Ward, a vantagem era de 20s, com 25s6 para Rossi, que não vinha tendo bom stint na frente de um Grosjean, que poderia estar ainda melhor não fosse um pit-stop lento.

Ericsson abria a janela de segunda parada dos líderes, voltando para a pista em décimo, atrás de Grosjean. Palou e Dixon iam aos boxes na volta 61, também retornando atrás do francês, mas na frente de Ericsson. Power, por sua vez, parou na 62, junto com Rahal e Grosjean, que novamente teve péssimo pit-stop.

Rinus VeeKay tentou surpreender na tática
Rinus VeeKay tentou surpreender na tática
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

Bourdais e VeeKay encerravam a segunda janela de stints quase que ao mesmo tempo em que Rossi parava pela terceira e última vez, abandonando mais cedo a estratégia de O'Ward, que liderava com 20s para Palou, mas ainda teria de fazer um pit-stop.

O'Ward parou e colocou pneus duros para as últimas 24 voltas, retornando ao traçado logo atrás de Ericsson. Se nada de anormal rolasse, ninguém mais teria de ir aos boxes, com a ordem ficando assim: Palou, 2s7 atrás vinha Power, a 3s7 do líder aparecia Dixon, depois Ericsson, O'Ward, Bourdais, VeeKay, Rahal, Rossi e Grosjean.

O'Ward, então, começava a tentativa de reação. O mexicano passou Ericsson na volta 74 após boa disputa e perseguição, deixando o sueco para um novo duelo, então pelo quinto lugar, com um inspirado Bourdais. O mexicano, em quarto, tinha 11s3 para tirar para Palou, 7s8 para Dixon e 9s1 para Power.

Mantendo a excelente pegada, Bourdais também ultrapassava Ericsson, que perdia o sexto lugar para VeeKay na sequência. Lá na frente, com 13 voltas para o fim, Palou era seguido de perto por Power e Dixon, todos separados por menos de 4s.

Faltou estratégia para Pato O’Ward
Faltou estratégia para Pato O’Ward
Foto: IndyCar / Grande Prêmio

Enquanto Palou tinha trabalho para negociar com os retardatários, Power já surgia menos de 1s2 atrás do garoto da Ganassi. Dixon vinha 3s3 atrasado e puxava junto O'Ward, que era, de longe, o piloto mais rápido da corrida nas últimas voltas.

Os giros derradeiros tiveram emoção, sim, mas o triunfo não escapou de Palou, que soube se defender dos ataques de Power, mesmo com o australiano cometeu pequenos erros durante a perseguição final. Dixon, é claro, segurou o ímpeto de Pato e salvou o pódio.

Indy 2021, GP do Alabama, Barber, Final:

1 A PALOU Ganassi Honda 1:52:53.036 90 voltas
2 W POWER Penske Chevrolet +0.402  
3 S DIXON Ganassi Honda +2.988  
4 P O'WARD McLaren Chevrolet +3.974  
5 S BOURDAIS Foyt Chevrolet +10.697  
6 R VEEKAY Carpenter Chevrolet +13.875  
7 G RAHAL RLL Honda +18.739  
8 M ERICSSON Ganassi Honda +20.070  
9 A ROSSI Andretti Honda +20.560  
10 R GROSJEAN Dale Coyne Honda +45.081  
11 J HARVEY Meyer Shank Honda +50.079  
12 S PAGENAUD Penske Chevrolet +59.052  
13 T SATO RLL Honda +1:05.589  
14 S McLAUGHLIN Penske Chevrolet +1:06.056  
15 E JONES Dale Coyne Honda +1:08.409  
16 C DALY Carpenter Chevrolet +1:09.108  
17 J HINCHCLIFFE Andretti Honda +1 volta  
18 D KELLETT Foyt Chevrolet +1 volta  
19 J JOHNSON Ganassi Honda +3 voltas  
20 M CHILTON Carlin Chevrolet +4 voltas  
21 F ROSENQVIST McLaren Chevrolet +28 voltas NC
22 C HERTA Andretti Honda +65 voltas NC
23 J NEWGARDEN Penske Chevrolet +90 voltas NC
24 R HUNTER-REAY Andretti Honda +90 voltas NC

GUIA INDY 2021

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade