6 eventos ao vivo

Medalhista de ouro: "ganharia mesmo sem o incidente"

29 ago 2014
08h29
atualizado às 08h36
  • separator
  • comentários

Maratona dos Jogos Olímpicos de 2004. Certamente, foi a imagem de Vanderlei Cordeiro de Lima sendo empurrado pelo padre irlandês Cornelius Horan que lhe veio à mente, não? Pois é. Mas aquela prova teve um vencedor. E ele, apesar de ser menos lembrado que o medalhista de bronze, foi o italiano Stefano Baldini, tido como um dos principais favoritos ao ouro antes do evento.

No dia em que a histórica prova realizada em Atenas completa dez anos, o Terra relembra o que o campeão olímpico disse depois da polêmica que envolveu o brasileiro e que, com certeza, ainda lhe provoca recordações. Será que, se Vanderlei Cordeiro de Lima não tivesse sido empurrado pelo padre irlandês na reta final da maratona, o italiano seria campeão olímpico? Ele já respondeu a essa questão em diversas oportunidades e garante que sim.

Vanderlei Cordeiro sobre Atenas: "foi tirada chance do ouro"

“Terminei a maratona olímpica em Atenas em um ritmo muito acelerado e tenho certeza que teria ganhado a medalha de ouro mesmo se o incidente não tivesse ocorrido. Nem me dei conta de que Vanderlei tinha sido agarrado e empurrado por um espectador irlandês”, afirmou Baldini, à agência Efe, no ano seguinte ao da Olimpíada de Atenas. “O que eu penso é que, olhando como a corrida se desenvolvia, analisando os tempos que estávamos fazendo e vendo como terminou, claro que eu acho que a maratona seria encerrada da mesma maneira”, completou.

O italiano ocupava a segunda colocação da prova, a quase 40 segundos do líder Vanderlei Cordeiro de Lima, no momento do incidente – ocorrido no 35º dos 42 km da prova. O brasileiro foi jogado para a calçada por um invasor, o padre irlandês Cornelius Horan, e perdeu aproximadamente 13 segundos sem avançar um metro sequer. Depois, com desvantagem física e psicológica, foi ultrapassado por Baldini e pelo americano Meb Keflezighi, ficando na terceira colocação da prova.

Foto: Scott Barbour / Getty Images

(Crédito da foto: Scott Barbour/Getty Images)

Diferente do italiano, Vanderlei não garante que faturaria o ouro caso não tivesse sido atrapalhado por Horan. "O impacto físico e psicológico do que ocorreu (com o padre irlandês) foi muito grande. Em situação normal, eu poderia não ganhar o ouro, mas a disputa iria para o final da prova, com certeza. Eu jamais vou dizer que seria o campeão. Não vou usar de um palavreado que o próprio Stefano (Baldini, medalhista de ouro) adotou e foi infeliz. Jamais vou subestimar os demais adversários ainda mais se tratando de uma situação que não aconteceu", afirmou.

Até hoje, quando se fala da maratona dos Jogos Olímpicos de 2004, é mais fácil se lembrar da polêmica envolvendo Vanderlei Cordeiro de Lima do que do nome do medalhista de ouro. Stefano Baldini, porém, nunca se importou com isto. “O próprio Vanderlei tem a consciência de que é mais famoso com a medalha de bronze”, disse o italiano. "O bronze dele é o mais importante de toda a história da Olimpíada. Que outro atleta conseguiria concluir a prova naquelas condições, após aquele ataque? Ele foi um herói", acrescentou, durante intercâmbio realizado em São Paulo recentemente.

Stefano Baldini, atualmente com 43 anos, não é daqueles atletas que só se tornou conhecido por causa do bom desempenho em uma Olimpíada. Enquanto permaneceu em atividade, o fundista conquistou dois títulos europeus (1998 e 2006) e dois bronzes mundiais (2001 e 2003), sendo considerado um dos melhores do continente Ele se aposentou em 2010, mas segue dedicando a sua vida ao atletismo, fazendo consultorias em empresas e tendo trabalhado com a federação italiana da modalidade.

Foto: Scott Barbour / Getty Images

(Crédito da foto: Scott Barbour/Getty Images)

Vanderlei Cordeiro manda recado para padre irlandês

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade