PUBLICIDADE

Com protocolos anticovid, São Silvestre retorna em 2021

Corrida de rua mais tradicional da América Latina é disputada na manhã desta sexta-feira (31)

30 dez 2021 21h03
| atualizado em 31/12/2021 às 07h44
ver comentários
Publicidade
Com protocolos anticovid, São Silvestre retorna em 2021
Com protocolos anticovid, São Silvestre retorna em 2021
Foto: REUTERS/Amanda Perobelli

A São Silvestre está de volta em 2021. Depois de um ano de pausa, devido ao estado crítico da pandemia da covid-19, a corrida de rua mais tradicional da América Latina será disputada na manhã desta sexta-feira.

Por causa da pandemia, a 96ª edição da São Silvestre terá mudanças no regulamento. Foi estabelecido o limite de 20 mil inscritos, como medida de segurança. Além disso, há a recomendação para que os corredores utilizem máscaras na concentração e na chegada.

Ao todo, 35 países estarão representados na edição de 2021. A São Silvestre terá início com a prova dos cadeirantes, às 7h25. Na sequência, é a vez da largada da elite feminina, às 7h40. Por fim, a elite masculina larga às 8h05.

O Brasil não sobe ao lugar mais alto do pódio desde 2010, quando Marílson Gomes dos Santos foi campeão. Na categoria feminina, a última brasileira a vencer a prova foi Lucélia Peres, em 2006.

As grandes esperanças do país para a edição deste ano são Daniel Ferreira e Graziely Zarry, os brasileiros que obtiveram os melhores resultados na prova de 2019 - ambos terminaram a corrida na 11ª colocação.

"Estou projetando melhorar minha marca, esses 46'32. Isso dá mais ou menos três minutos e meio por quilômetro. A prova será muito tática, vai depender também do clima, se vai estar quente, se vai estar úmido. Eu quero começar a correr na segunda parte da prova, porque é onde começa a São Silvestre, a parte mais difícil, depois que passa aquela ponte. Espero me posicionar muito bem, com a prova se desenhando, porque todos os que estão ali entram para vencer", disse Daniel.

A São Silvestre de 2021 estará recheada de importantes fundistas no cenário internacional. O etíope Belay Bezabh e a queniana Sandrafelis Chebet, campeões em 2018, competirão novamente. Além deles, o queniano Elisha Rotich, atual campeão e recordista da Maratona de Paris, marcará presença.

"É a terceira vez que disputo a São Silvestre. Na primeira, fui vice-campeão. Em 2018, fui o campeão da prova. Estou muito feliz por retornar à São Silvestre, a expectativa e o desejo é de ganhar a prova", afirmou Belay.

O percurso de 15 km passa por alguns dos principais pontos turísticos da cidade de São Paulo, com largada na Avenida Paulista, próximo ao número 2000, e chegada em frente ao prédio da Fundação Cásper Líbero, também na Avenida Paulista, 900.

Pelo segundo ano, a São Silvestre firmou parceria com o Movimento Plástico Transforma, que viabilizará a reciclagem de copos plásticos distribuídos para os corredores durante a prova. Todo o material coletado será transformado em caixas organizadoras para doação a entidades públicas do estado de São Paulo.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade