PUBLICIDADE

Com duas vitórias e dois índices, Vitória Rosa brilha no GP Brasil

1 mai 2022 20h19
ver comentários
Publicidade

A velocista Vitória Rosa foi o destaque do Grande Prêmio Internacional Brasil de Atletismo, realizado neste domingo, no estádio do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa. Vitória venceu os 100m (11s05) e os 200m (22s68), com índices para o Mundial de Atletismo de Oregon, que será na cidade de Eugene, nos Estados Unidos, entre os dias 14 e 25 de julho.

O evento fechou o Ranking Brasileiro para a formação da seleção que representará o país de 20 a 22 de maio, no Campeonato Ibero-Americano de Atletismo de La Nucia, na Espanha. A Confederação Brasileiro de Atletismo (CBAt) deve convocar a Seleção para o evento nesta semana.

Vitória Rosa fez uma excelente corrida nos 100m. Venceu com 11s05 (1.0 m/s), melhorando o tempo de 11s12 que havia feito na última quarta-feira, no Torneio Internacional São Paulo. De quebra, conseguiu índice para o Mundial de Atletismo do Oregon (11s15 é a marca mínima da World Athetics).

Foto: Gazeta Esportiva

Vitória Rosa posa para foto no GP Brasil

A atleta de 26 anos ainda igualou o recorde do GP, estabelecido por Ana Cláudia Lemos da Silva em 2013. Ana Cláudia, inclusive, foi a terceira colocada neste domingo, com 11s30. Rosângela Santos foi segunda, com 11s25.

Vitória voltou à pista para correr os 200m, penúltima prova do GP, e venceu novamente. Terminou a distância em 22s68 (0.7 m/s) e índice (a marca mínima exigida pela World Athletics é 22s80). A equatoriana Gabriela Suaréz ficou em segundo, com 23s14, e Lorraine Barbosa Martins foi a terceira, com 23s24.

Palavras da campeã

"Estou muito feliz pelo que fiz esta semana. Entrei nos 100m pensando que na pista é o meu momento e me senti bem, solta", disse Vitória, que parou para ver a reprise da corrida no telão após cruzar a linha de chegada e comemorar. "Gostei muito, mas minha meta continua sendo alcançar de novo os 11s03, minha melhor marca, que fiz em 2018", continuou a atleta.

Ela ficou preocupada por conta de lesão sofrida na final do Mundial Indoor de Belgrado, em março, mas não teve problemas. "Decidi dar a vida nas duas provas. Nos 200m, sai bem do bloco, me senti confiante. Esse GP foi muito importante para minha preparação", completou, agradecendo ao treinador Katsuhico Nakaya.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade