PUBLICIDADE
AO VIVO
Paris é Delas: Atletas falam sobre longevidade e vaidade no esporte

Sabesp (SBSP3) aprova nova política de dividendos, que podem chegar a 100% do lucro

17 jun 2024 - 11h24
Compartilhar
Exibir comentários
Sabesp (SBSP3) anuncia pagamento de quase R$ 1 bilhão em JCP
Sabesp (SBSP3) anuncia pagamento de quase R$ 1 bilhão em JCP
Foto: Suno

O conselho de administração da Sabesp (SBSP3) aprovou a nova política de dividendos da companhia, que deve ser aplicada após a liquidação da oferta pública de distribuição de ações, no âmbito do processo de privatização.

A nova política de dividendos da Sabesp, que portanto está condicionada à entrada em vigor do novo estatuto social, prevê proventos crescentes: até 50% do lucro líquido ajustado para 2026 e 2027, até 75% para 2028 e 2029, e até 100% a partir de 2030.

A distribuição dos dividendos também vai depender do Fator de Universalização, chamado também de fator U, que ajusta os dividendos de acordo com o progresso da universalização dos serviços de saneamento.

De acordo com a Sabesp, a nova polícia ainda considera a necessidade de investimentos para atingir as metas de universalização e cumprir o objetivo social da empresa.

Analistas recomendam ações da Sabesp (SBSP3), com 'potencial ganho de valor'

De acordo com a Genial Investimentos, a venda das ações ordinárias da Sabesp (SBSP3) detidas pelo estado de São Paulo tem potencial para um destravamento significativo de valor, o que leva os analistas a recomendarem a compra das ações, com um preço-alvo de R$ 77.

A Genial destaca vários fatores que justificam a estimativa de um potencial significativo de destravamento de valor para a companhia após a conclusão da desestatização da Sabesp. Entre esses fatores estão:

  • Evolução da Base de Remuneração Regulatória e a reprecificação em termos de múltiplos.
  • O caso da Equatorial (EQTL3), cujo valor de mercado se multiplicou mais de 20 vezes nos últimos 10 anos.
  • O momento atual do setor de saneamento no Brasil, que representa uma grande oportunidade para a Sabesp.
  • Em relação ao capital social, cujo Estado de São Paulo manterá de 18%, a casa avalia que esse sempre foi esse o cenário-base, associado a empresa tocando o novo fluxo de investimentos sem a necessidade de novos recursos.

"Outro ponto interessante é a indicação do tamanho da operação: considerando a fatia mínima a ser alcançada versus a fatia atual que o governo do estado de SP tem na Sabesp, imaginamos que a operação possa alcançar um volume de até R$16 bilhões se considerarmos os preços atuais de mercado - ou seja, uma operação de tamanho relevante onde o possível grupo vencedor deve ser formado via consórcio", comenta a Genial.

A oferta envolverá a entrada de um grupo de controle e a inclusão de um investidor de referência, que terá até 15% de participação neste grupo. O grupo vencedor estará sujeito a um lock-up das ações da Sabesp, impedindo a venda dessa fatia da empresa até dezembro de 2029, período em que a fase mais intensa dos investimentos deverá estar próxima do fim.

"Esse fator não surpreende, por também já ser amplamente esperado. Achamos essa medida interessante por dar uma "cara" ao controle da nova empresa. Diversos grupos manifestaram interesse em participar dessa privatização, sendo muito precoce cravar um grande vencedor - que imaginamos que vá se materializar via consórcio", acrescenta a Genial sobre a Sabesp.

Suno
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade