0

Preço médio do diesel cai 0,06% na semana encerrada em 28 de julho, diz ANP

30 jul 2018
19h22
atualizado às 19h45
  • separator
  • comentários

O preço médio do diesel nos postos de combustíveis do Brasil caiu 0,06 por cento na semana passada ante a semana anterior, em meio a esforços do governo federal para cortar os preços do combustível, após a greve dos caminhoneiros contra os altos valores em maio.

Frentista segura bomba de abastecimento em posto de combustível em São Paulo
8/11/2016 
REUTERS/Paulo Whitaker
Frentista segura bomba de abastecimento em posto de combustível em São Paulo 8/11/2016 REUTERS/Paulo Whitaker
Foto: Reuters

O diesel --combustível mais consumido do país-- teve um valor médio nos postos brasileiros de 3,378 reais por litro na semana encerrada em 28 de julho, ante 3,38 reais na semana anterior, segundo dados da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Um programa de subsídio ao diesel fóssil vendido em refinarias e por importadores foi lançado após a greve dos caminhoneiros, para reduzir os preços. O diesel vendido nos postos recebe ainda uma mistura de 10 por cento de biodiesel, que não está sendo subsidiado pelo governo.

A gasolina, por sua vez, registrou média nos postos brasileiros de 4,489 reais por litro na semana passada, queda de 0,24 por cento sobre a semana anterior, segundo a ANP.

Ao contrário do diesel, que atualmente tem seus preços congelados nas refinarias, devido ao programa de subsídios, a gasolina da Petrobras permanece sofrendo ajustes quase diários nas refinarias, seguindo indicadores internacionais, como o preço do barril do petróleo e o dólar, conforme a empresa busca rentabilidade.

O etanol hidratado, concorrente direto da gasolina nas bombas, por sua vez, teve queda 1,1 por cento na semana passada, para 2,744 reais por litro, mostrou a pesquisa da ANP.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade