PUBLICIDADE

Ex-entregador de jornal fatura R$ 3 milhões ensinando inglês

Trata-se de uma franqueadora especializada exclusivamente no ensino de inglês particular

19 set 2022 - 03h00
(atualizado em 22/9/2022 às 18h42)
Compartilhar
Exibir comentários
Rauel Araruna
Rauel Araruna
Foto: Divulgação

Aos 36 anos de idade, Rauel Araruna já trabalhou quase 25 anos de sua vida. Isso porque desde muito novo, aos 11 anos, ele queria ganhar seu próprio dinheiro. Para isso, começou a entregar jornais em um condomínio, onde conseguia ganhar R$ 60 por mês. Hoje, ele é CEO da IP School – Inglês Particular, que deve faturar R$ 3 milhões até o final de 2022.

Araruna orgulha-se quando relembra sua trajetória: morando no Parque Cecap, em Guarulhos, ele começou a entregar os jornais em seis blocos de um condomínio. As entregas aconteciam às terças, quintas e sábados, o que rendia R$ 15 por semana. Para isso, ele subia um total de 90 andares a cada dia de trabalho, em escadas abertas, o que era ainda mais difícil nos dias chuvosos.

“Eu vim de uma família em que nunca me faltou nada, mas também não era uma vida de luxo. Então, aproveitei a oportunidade que tinha para ganhar dinheiro. E, por mais que fossem R$ 60, era muito dinheiro para um menino de 11 anos, ainda mais naquela época. Já dava para comprar algumas coisas para mim e eu fiquei nessa rotina durante um ano e meio”, conta.

Começou como entregador de padaria

Dos 14 aos 15 anos de idade, Araruna trabalhou como entregador de uma padaria e, aos 16, fazia campanha para um vereador no mesmo bairro de Guarulhos. Pouco depois, aos 17 anos, entrou para a faculdade de Química e começou a estagiar. Já formado, fez mais uma graduação, desta vez de Farmácia & Bioquímica.

No primeiro emprego com carteira assinada, atuou como Analista de Controle de Qualidade, na Vigor, onde ficou de 2006 até 2008. Quando saiu, começou a trabalhar na Schering-Plough Research Institute, como Analista de Controle de Qualidade. Por lá, ficou até 2010, quando foi atuar na Pfizer como Analista de Validação Analítica.

Rauel também teve passagens pelo mundo pedagógico, dando aulas de laboratório na Universidade São Francisco para o Ensino fundamental e Médio, e aula de Química em escolas públicas estaduais. Mas a vontade de empreender sempre esteve presente nele, que chegou a comprar um caminhão para que um cunhado trabalhasse com ele. Porém o investimento acabou não funcionando.

O início da escola de inglês

Em paralelo a isso, em 2014, já começou a se articular para criar a IP School. Em 2015, de fato, a escola foi fundada, e começou a franquear em meados de 2019. 

“Nós começamos a escola sem site, sem know-how e só com banner que pedíamos para os amigos adesivarem os carros. Mas nesses anos vimos a escola crescer e ganhar essa proporção, porque temos uma metodologia diferente e um propósito muito grande”, afirma Araruna.

Por conta das franquias, a IP School tem hoje 15 unidades, sendo 14 no estado de São Paulo e uma na cidade de Belo Horizonte, em Minas Gerais. O diferencial da rede é a metodologia. Ela é exclusiva e baseada na Programação Neurolinguística (PNL), com método fonético, suporte gradual, mapeamento dos objetivos do aluno, de sua proficiência atual e de seu perfil para o desenvolvimento de um plano de aprendizado. A IP School – Inglês Particular não trabalha com livros e oferece uma plataforma de desenvolvimento aos alunos.

A franquia IP School

Existem diversas opções para o investidor que deseja trabalhar com o ensino de idiomas. E, apesar de muitos acharem que este é um mercado saturado, se for levado em conta que pouco mais de 3% dos brasileiros é fluente em inglês, percebe-se que, na verdade, o segmento ainda é pouco explorado e ineficaz. 

“O que ocorre é que o estudante do idioma se cansa e desiste do curso. Ele passa alguns anos numa sala de aula cheia de outros alunos, sem aprender o inglês prático, sem conversar, e fica desestimulado. Foi justamente isso que nos propusemos a mudar – e estamos conseguindo”, diz Rauel Araruna.

A franquia IP School oferece dois modelos de negócios: escolas físicas e homebased. “O franqueado pode escolher como deseja trabalhar e muitos optam por iniciar com a microfranquia para, depois, montar a escola física”, explica Araruna.

Numa microfranquia IP School investem-se R$ 40,5 mil, valor que inclui a taxa de franquia e o capital de giro. Na unidade física, são necessários R$ 157 mil para taxa de franquia, instalações e capital de giro. 

“O franqueado recebe o direito de explorar determinada região, com todo treinamento e suporte da franqueadora”, fala Araruna. Esse valor pode ser parcelado em três vezes, para facilitar ainda mais o investimento. O parcelamento é feito diretamente com a franqueadora.

(*) HOMEWORK inspira transformação, com inteligência digital e capricho artesanal. Nosso jornalismo impacta milhares de leitores todos os dias. E nossas soluções de conteúdo sob medida atendem grandes empresas de todos os tamanhos. Saiba mais sobre nossos projetos e entre em contato.

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade