2 eventos ao vivo

Herdeiros da BMW dizem que não é fácil ser bilionário

Susanne Klatten e Stefan Quandt detém quase metade da BMW e herdeiros possuem assentos no conselho da empresa

24 jun 2019
16h45
  • separator
  • 0
  • comentários

Aparentemente, lidar com uma grande riqueza herdada de família é um trabalho e tanto para os herdeiros de metade do grupo BMW. Pelo menos é o que afirmam Susanne Klatten e Stefan Quandt, filhos de Herbert Quandt, que salvou a BMW da falência nos anos 1950.

"Muitos acreditam que estamos sempre passeando de iate no Mediterrâneo", afirmou Susanne numa rara entrevista à revista alemã Manager Magazin. "O papel de guardião de uma riqueza tem lados não tão bons assim", segundo a bilionária. Com uma fortuna estimada em US$ 18,6 bilhões, Susanne tem ainda participações em empresas químicas e de produção de carbono.

Stefan Quandt
Stefan Quandt
Foto: BMW Foundation / Divulgação

Seu irmão Stefan vale cerca de US$ 15,5 bilhões e além da participação na BMW, trabalha em empresas de logística e medicina homeopática, segundo a Bloomberg. Ambos têm assentos no conselho administrativo da montadora alemã. Os dois herdeiros até dizem estar confortáveis com suas funções. No entanto, inicialmente tiveram dificuldades com posições de alto escalão ainda em idade jovem.

Stefan assumiu seu assento no conselho aos 30 anos. Segundo ele, "preferia ter trabalhado mais alguns anos como um simples gerente de produto. Ou estudado arquitetura".

Polêmica

Susanne já chegou a afirmar que redistribuição de riquezas não funciona e que uma sociedade justa permite que as pessoas persigam oportunidades de acordo com suas próprias habilidades. Ela ganhou os holofotes ainda em 1978 quando a polícia alemã descobriu planos de um sequestro dela e de sua mãe, Johanna Bruhn."Nosso potencial vem do papel de ser herdeiro e desenvolver ainda mais sobre isso", afirma a bilionária.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade