PUBLICIDADE

'Campos Neto tem de saber que quem perde dinheiro com juro alto é o povo brasileiro', diz Lula

Durante café da manha com jornalistas, presidente afirmou que ainda não decidiu se antecipa ou não a escolha do novo presidente do Banco Central antes do fim do ano

23 abr 2024 - 12h58
Compartilhar
Exibir comentários

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar nesta terça-feira, 23, o mercado financeiro e o nível da taxa básica de juros do País, a Selic, em 10,75%. O petista disse que o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, precisa saber que quem "perde dinheiro" com juro alto é o "povo brasileiro". "Com todo respeito ao mercado, eu quero mais bem ao Brasil que ao mercado", declarou.

Lula afirmou que o mercado financeiro precisa ter responsabilidade. "Esse País não pode ficar todo dia tomando susto de que o mercado não gostou disso e não gostou daquilo. O mercado está ganhando muito dinheiro com essa taxa de juros. Isso tem de ficar claro para a sociedade. E o presidente do Banco Central tem de saber que quem perde dinheiro com essa taxa de juro alta é o povo brasileiro", disse ele, durante café da manhã com jornalistas, no Palácio do Planalto.

Lula também falou sobre a sucessão no BC. "Eu tenho de indicar mais diretores e tenho de indicar o presidente do Banco Central até o fim do ano. Eu só tenho de decidir se eu vou antecipar ou se deixo para indicar o mais próximo possível do vencimento do mandato do presidente Roberto Campos", disse.

"Quem já conviveu com Roberto Campos um ano e quatro meses não tem nenhum problema em viver mais seis meses. O que eu espero é que o Roberto Campos leve em conta que o Brasil não corre nenhum risco", emendou Lula, ao ressaltar a época em que o Brasil tinha dívida com o Fundo Monetário Internacional (FMI), posteriormente paga. "Muitos poucos países têm a segurança que tem o Brasil."

Lula afirmou que, mesmo assim, "tem toda a paciência do mundo" porque precisa esperar até dezembro para mudar a presidência do BC. "Veja como somos tranquilos", declarou. "Eu não sou movido a mercado, sou movido a soluções para o povo brasileiro", criticou.

Estadão
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade