0

Anec eleva previsão para exportação de milho do Brasil em setembro; mantém soja

15 set 2020
19h05
atualizado às 19h20
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A exportação de milho do Brasil deverá somar 6,23 milhões de toneladas neste mês, estimou nesta terça-feira a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), elevando sua projeção que era de 5,7 milhões de toneladas até a semana passada.

Milho importado do Brasil em um armazém no porto de Tuxpan, México 
21/02/2018
REUTERS/Henry Romero
Milho importado do Brasil em um armazém no porto de Tuxpan, México 21/02/2018 REUTERS/Henry Romero
Foto: Reuters

Com o volume projetado para setembro, com base em embarques já efetivados e programados, o país fecharia os nove primeiros meses do ano com exportações de 20,5 milhões de toneladas, versus 28,2 milhões de toneladas no mesmo período de 2019, conforme dados da Anec.

De janeiro a agosto, o Irã aparece como o principal destino das exportações do Brasil, apontou a Anec, citando uma fatia de 13% nos embarques, seguido pelo Japão, Espanha e Vietnã, com participações em torno de 10%.

O Brasil está no pico do escoamento do milho, com a Anec projetando no início do mês embarques entre 31 milhões e 33 milhões de toneladas para 2020.

Já a exportação de soja do país foi estimada em 4,3 milhões de toneladas para setembro, estável ante a projeção da semana anterior.

Os embarques da oleaginosa foram muito concentrados em meses anteriores, com a forte demanda da China e um câmbio favorável, e estão estimados em 79,7 milhões de toneladas de janeiro a setembro, versus uma projeção da Anec de 82 milhões para o ano completo de 2020.

De janeiro a agosto, a China levou 74% das exportações de soja do Brasil, segundo a Anec, seguido por Espanha (4%), Holanda (3%) e Turquia, entre outros.

Veja também:

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) defende representatividade mínima de 30% de mulheres na direção dos partidos
Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade