PUBLICIDADE

Por que Globo será essencial para Bolsonaro e Lula na eleição

Campanhas dos candidatos preparam as inserções de TV consideradas decisivas para definir quem vencerá a eleição

10 jun 2022 - 10h15
(atualizado às 10h18)
Ver comentários
Equipes de Lula e Bolsonaro acreditam que vão conseguir votos pela TV
Equipes de Lula e Bolsonaro acreditam que vão conseguir votos pela TV
Foto: Fotomontagem: Blog Sala de TV

A televisão vai eleger o próximo presidente, comentam marqueteiros e políticos veteranos. Há consenso de que, desta vez, o veículo será mais importante do que as redes sociais.

As equipes de audiovisual dos dois candidatos melhores colocados nas pesquisas de intenções de votos, Jair Bolsonaro e Lula, trabalham na roteirização do material a ser exibido na TV.

O horário eleitoral gratuito começará no dia 26 de agosto, uma sexta-feira, 37 dias antes do 1° turno. Os candidatos terão inserções de 30 e 60 segundos distribuídas ao longo da programação das emissoras.

Haverá um sorteio inicial que definirá o rodízio na ordem de exibição diária dos programas, para que nenhuma candidatura ou partido seja privilegiado ou se sinta prejudicado.

A maior expectativa é pela visibilidade no horário nobre da Globo, especialmente na faixa das 21h30 às 22h30, a de maior audiência do País, hoje ocupada pela novela ‘Pantanal’, no ar até outubro.

O remake tem marcado médias acima de 30 pontos na aferição da Kantar Ibope na Grande São Paulo. Este índice representa cerca de 6 milhões de telespectadores na maior região metropolitana do Brasil.

Ao projetar o alcance nacional, o folhetim rural pode atingir mais de 40 milhões de brasileiros todas as noites. Não há canal mais efetivo para falar a tanta gente ao mesmo tempo.

Nesse horário, a Record TV atrai cerca de quatro vezes menos público. O SBT fica ainda mais distante, até cinco vezes atrás. Duramente atacada e ameaçada tanto por Bolsonaro (com a suposta suspensão das concessões) como por Lula (via projeto de regulação de mídia), a Globo tem um colossal poder de influência na eleição.

As cúpulas das candidaturas presidenciais acreditam que as inserções nos intervalos de ‘Pantanal’ terão potencial de atrair a atenção de dois grupos imprescindíveis para determinar o resultado das urnas: as mulheres e os indecisos.

A novela das onças, sucuris e dos marruás também oferece acesso privilegiado ao público masculino – trata-se da trama mais vista por homens desde ‘Avenida Brasil’, de 2012.

Antigamente, com o horário eleitoral noturno concentrado em blocos (no caso da Globo, entre o ‘Jornal Nacional’ e a novela das 21h), muitas pessoas desligavam a TV para não assistir ao blá-blá-blá dos políticos. Com as inserções espalhadas pela programação, essa rejeição não acontece.

Em resumo, um programete de 1 minuto no horário de ‘Pantanal’ pode gerar mais votos do que conseguiriam centenas de posts em uma rede social. A televisão ainda é o cabo eleitoral mais eficiente.

A propaganda política gratuita seguirá até 29 de setembro. Em caso de 2° turno, a transmissão irá acontecer entre 7 e 28 de outubro. O esquema de exibição muda: os presidenciáveis vão aparecer na TV em dois blocos diários de 10 minutos cada.

Sala de TV Blog Sala de TV - Todo o conteúdo (textos, ilustrações, áudios, fotos, gráficos, arquivos etc.) deste blog é de responsabilidade do blogueiro que o assina. A responsabilidade por todos os conteúdos aqui publicados, bem como pela obtenção de todas as autorizações e licenças necessárias, é exclusiva do blogueiro. Qualquer dúvida ou reclamação, favor contatá-lo diretamente no e-mail beniciojeff@gmail.com.
Publicidade
Publicidade