PUBLICIDADE

Disputa pela herança de James Brown chega ao fim após 15 anos

Justiça estima que fortuna do cantor seja avaliada entre US$ 5 milhões e US$ 100 milhões

24 jul 2021 13h08
| atualizado às 13h21
ver comentários
Publicidade

A família do artista James Brown chegou a um acordo após uma batalha de 15 anos sobre a herança do cantor, disse um advogado envolvido na mediação na sexta-feira, 23.

David Black, que representava o espólio de Brown, confirmou à Associated Press que o acordo foi fechado em 9 de julho. Detalhes não foram divulgados.

A disputa judicial sobre os bens do pai do Soul estava em curso desde sua morte, aos 73 anos, no dia de Natal em 2006.

A morte do cantor gerou anos de manchetes bizarras, começando com Tomi Rae Hynie - uma ex-parceira que afirmava ser a mulher de Brown - sendo trancada para fora de sua propriedade de 60 acres (24 hectares) enquanto fotógrafos a registraram desesperada chacoalhando os portões de ferro, implorando para poder entrar.

James Brown era reconhecido por centenas de trabalhos musicais icônicos, incluindo hits como I Feel Good e A Man's World, e também era lembrado ao redor do mundo por suas brilhantes performances e presença no palco dinâmica. Mas anos de problemas com drogas e de gerenciamento financeiro fizeram com que seu patrimônio diminuísse.

Mais de uma dúzia de processos foram feitos ao longo dos anos por pessoas tentando pôr as mãos no espólio do cantor, que a corte estima que valha algo entre US$ 5 milhões e US$ 100 milhões.

A luta sobre a herança de James Brown respinga até mesmo sobre o que fazer com o seu corpo. Membros da família lutaram pelos restos mortais por mais de dois meses, deixando o corpo de Brown, ainda dentro de um caixão de ouro, parado em uma câmara de resfriamento numa funerária.

Brown chegou a ser enterrado em Beech Island, na Carolina do Sul, na casa de uma de suas famílias. A família gostaria de transformar a casa em um santuário para James de forma similar ao que tem Elvis Presley em Graceland, mas a ideia nunca saiu do papel.

No último ano, a Suprema Corte da Carolina do Sul decidiu que Hynie não havia sido legalmente casada com JAmes Brown, e, portanto, não teria direito à sua herança multimilionária.

Os juizes também ordenaram que uma corte de circuito "proceda prontamente com o inventário da herança de Brown em acordo com seu plano de herança", que destacam a criação de um fundo que usará os royalties de suas músicas para financiar despesas educacionais de crianças na Carolina do Sul e na Geórgia.

Um acordo de 2009 planejava que cerca de metade dos bens de James Brown fossem doados a um fundo de caridade, um quarto para Hynie e o resto fosse dividido entre os seus filhos adultos. A Suprema Corte do estado invalidou o acordo em 2013, afirmando que o então advogado-geral, Henry McMaster - hoje governador do Estado - não havia seguido os desejos expressos por Brown de que a maior parte de seu dinheiro fosse para a caridade, tendo, em vez disso, escolhido um gerente profissional para tomar tomar conta dos bens de Brown para que os curadores de seu espólio pudessem liquidar dívidas.

Estadão
Publicidade
Publicidade