0

Música

Ana Carolina faz 15 anos de carreira: muita coisa vai rolar

Divulgação

Cantora relembrou vários de seus álbuns e fez releituras inéditas durante show comemorativo

19 mai 2015
07h48
atualizado às 16h13
  • separator
  • 0
  • comentários

Comemorando 15 anos de carreira, Ana Carolina celebrou o tempo de estrada com um show especial reproduzido em DVD. Em #AC ao Vivo, ela canta e lembra algumas das canções mais importantes de seus vários álbuns.

“Neste momento de 15 anos de carreira eu senti que a única coisa que eu podia fazer era celebrar cantando sucessos”, afirmou durante a entrevista ao Terra. Apostando em um ritmo mais dançante e eletrônico para o show, como o de seu último álbum, Ana comentou que essa escolha funcionou para que a apresentação fluísse. “Ficou diferente, sem estagnação e eu gosto assim, gosto das coisas em movimento”.

Gravado em outubro de 2014, em São Paulo, a apresentação conta com releituras de Fire de Bruce Springsteen, Coração Selvagem de Belchior, e tem participação, em voz, de Chico Buarque em Resposta da Rita.

A cantora falou sobre o projeto, que vinha planejando há dois anos, a escolha das músicas, próximos trabalhos, e avisou que “muita coisa vai rolar”.

Terra - Você tem nove álbuns lançados e diversos sucessos, como foi escolher as músicas que entrariam no repertório do DVD?
Ana Carolina - Estando na estrada anos há 15 anos, você começa a perceber que algumas músicas funcionam mais para show do que no disco. Às vezes uma música ao vivo toca mais as pessoas do que sua própria gravação. 10 Minutos, por exemplo, funciona muito no show, ela atinge uma grandiosidade épica muito forte. São canções que surpreendem.Para o DVD, eu peguei algumas canções do #AC, para mostrar canções do meu álbum novo, e várias canções desses 15 anos de carreira. Tem uma referência a Ensaio das Cores com as músicas Você Não Sabe e Problemas, faço uma homenagem a Dois Quartos e ao Estampado.

Terra - Você incluiu canções inéditas também...
Ana Carolina - 
As canções inéditas como Fire de Bruce Springsteen e Coração Selvagem de Belchior dão um certo frescor no show porque são canções que eu não faria e elas funcionam muito bem dentro de um repertório totalmente autoral. No show eu coloco algumas músicas que eu não comporia como Piriguete e Você Não Vale Nada que é uma parte engraçada do show.

Terra- O show tem uma pegada bastante dançante e eletrônica...
Ana Carolina - 
Sim, a gente quis repetir no show a façanha do disco #AC que é só “groove” e tudo eletrônico. No palco a gente tem o DJ fazendo os scratchs com a minha voz e a gente chegou em um ponto bom de reler algumas canções. Na hora do show isso fica diferente sem estagnação e eu gosto assim, gosto da coisa em movimento.

Terra - Como foi subir no palco para cantar 15 anos de carreira?
Ana Carolina -
 Eu lembro que no meu primeiro disco as pessoas me diziam ‘Ah, você chegou lá’ e eu falava ‘Chegou aonde? ’ como se o fim do caminho fosse o sucesso. Não. O grande mistério do sucesso é permanecer nele, é continuar através dos anos fazendo com que sua música chegue às pessoas e isso é uma ciência que cada um tem a sua para realizar e fazer. Neste momento de 15 anos de carreira eu senti que a única coisa que eu podia fazer era celebrar cantando sucessos.

Terra - Você conquistou um público muito versátil com seu trabalho, de várias idades. Quando você compõe você pensa nisso?
Ana Carolina - 
Eu nem sei como isso se dá, mas eu lembro de chegar para um show em uma cidade e encontrar meninas de 14 anos que não podiam entrar no show me esperando na porta. É uma delícia porque nos shows tem pessoas novas de 18 anos, 40 até de 60 anos e ao mesmo tempo eu não sei porque isso se dá. Se eu soubesse eu faria sim música pensando nisso.

Foto: Divulgação

Terra - Você dirigiu o clipe de Libido que foi recebido com um ar de polêmica. Como foi dirigir e receber essa reação?
Ana Carolina - 
Eu nem sabia que ia fazer isso na minha vida, mas eu cismei com uma câmera aquática e aí comecei a jogar as coisas na piscina e achei as imagens sensacionais e resolvi escrever uma música para as imagens da água que é a Un Sueño Bajo El Agua.

E foi uma coisa meio louca por que daí comecei um curso de Final Cut, trabalhei com uma galera mais profissional e comecei a dirigir e editar os videoclipes e isso me deu uma joia de vida. Descobrir que você pode fazer outras coisas e que você é apaixonado por essa coisa é como um salutar. Eu já fiz vários clipes que inclusive entraram no DVD e já estou pensando em outras coisas.

Agora, as pessoas são engraçadas porque no caso de Libido algumas falam ‘ah mas isso aí a Madonna já fez’ eu digo ‘gente o que é que ninguém fez’. O videoclipe de Libido não é para competir com outros clipes que já foram feitos em 1980 com a Madonna, isso é o meu vídeo que eu fiz aqui em casa, é só para mostrar. A música chama Libido eu não vou fugir ao tema.

Terra - Para os próximos 15 anos quais são os planos?
Ana Carolina - 
Eu pretendo fazer muitas coisas que eu não fiz ainda. Eu quero gravar um disco de voz e violão, cantando canções de outras pessoas, outro disco com orquestra... muita coisa vai rolar.

 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade