0

Ilhas Baleares proíbem matança de animais em touradas

24 jul 2017
15h42
  • separator
  • comentários

As Ilhas Baleares proibiram nesta segunda-feira que toureiros matem os touros nas arenas, tornando-se uma de várias regiões espanholas a adotarem ações para criminalizar o esporte praticado há séculos.

Tourada em Pamplona, no norte da Espanha
14/07/2017
REUTERS/Susana Vera
Tourada em Pamplona, no norte da Espanha 14/07/2017 REUTERS/Susana Vera
Foto: Reuters

O projeto de lei aprovado pela assembleia local proíbe a morte dos animais nas touradas e torna ilegal sujeitá-los a danos físicos ou psicológicos. Os espetáculos serão limitados a um máximo de 10 minutos, disse um porta-voz do Legislativo.

    Tradicionalmente, as touradas espanholas envolvem seis touros criados especialmente, que lutam com os toureiros durante 20 a 30 minutos. Nesta altura, os toureiros tentam cravar uma espada entre as omoplatas e através do coração do touro.

    Segundo as novas regras das Ilhas Baleares, o touro será submetido a um exame médico depois da luta e devolvido ao rancho onde foi criado.

    O projeto de lei foi apresentado pelo Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), de centro-esquerda, pelo Podemos, de extrema-esquerda, e por siglas regionais menores. Embora o governista Partido Popular (PP) e o Ciudadanos, simpático ao empresariado, tenham votado contra, não tiveram votos suficientes para bloquear a iniciativa.

    As Ilhas Baleares são a segunda região da Espanha onde as touradas estão restritas atualmente. Em 1991 as Ilhas Canárias aprovaram uma lei para proteger os touros que incluiu uma cláusula contra abusos dos animais nas touradas ou em festas populares locais.

A região da Catalunha também aprovou um projeto de lei para proibir todas as touradas em 2010. Mas o tribunal constitucional anulou a lei em outubro passado, considerando a tourada um bem cultural protegido pela legislação nacional.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
  • separator
  • comentários
publicidade