PUBLICIDADE

Testemunhas descrevem agressões de Johnny Depp contra Amber Heard

19 mai 2022 - 15h24
Ver comentários
Publicidade
Foto: Divulgação/Court TV / Pipoca Moderna

No julgamento dos fãs, Johnny Depp está vencendo de lavada de Amber Heard. Vídeos no TikTok e comentários no Twitter tem feito pouco caso das declarações da atriz de "Aquaman" sobre as agressões sofridas por ações do ator de "Piratas do Caribe", durante seu testemunho no processo de difamação aberto pelo ex-marido no estado de Virginia, nos EUA. Quanto mais ela é acuada pela acusação e obrigada fazer descrições detalhadas de suas agressões, mais os fãs de Depp parecem delirar.

Na quarta (18/5), porém, a violência sofrida pela atriz começou a ser corroboradas por testemunhas. E isto parece ter abalado o teor das piadas machistas, que deram um breve tempo nas redes sociais.

A defesa apresentou o depoimento por vídeo de quatro testemunhas, três das agressões e uma da forma como Depp menosprezava a carreira da ex-esposa, colhidos ao longo do processo diante dos advogados das duas partes e da juíza Penny Azcarete. Além disso, a irmã da atriz testemunhou diante do tribunal.

A primeira denúncia foi de Raquel "Rocky" Pennington, vizinha do casal, que testemunhou uma discussão em 2015, na cobertura em que os dois viviam em Los Angeles. "Eu fiquei com medo por Amber", ela disse.

Ao júri foram mostradas fotos de Heard, que Pennington disse terem sido tiradas naquela noite. Lutando contra as lágrimas em alguns momentos, Pennington descreveu como uma foto mostrava Heard com dois olhos negros e um lábio inferior inchado.

A cabeça de Heard estava "crua e vermelha", disse ela, e havia "uma mancha sangrenta com o cabelo faltando". Questionado se o rosto de Heard poderia estar vermelho de tanto chorar, Pennington disse: "Pode ter sido".

Mas aos jurados também foram mostradas outras fotos daquela noite, incluindo uma foto de um tufo de cabelo no chão acarpetado. Ela disse que tirou as fotos e não alterou as imagens.

Pennington também contou que pediu ajuda a uma enfermeira particular na cobertura, que a instruiu a não deixar Heard dormir naquela noite e a monitorar sua fala, pois ela poderia ter sofrido uma concussão devido à agressão violenta em sua cabeça.

Ela também presenciou a discussão da noite de 21 de maio de 2016, tendo entrado na cobertura com os seguranças de Depp enquanto o casal estava discutindo aos gritos. Foi nesta discussão que Heard afirma que Depp a atingiu com um telefone, levando-a a pedir o divórcio e uma ordem de restrição contra seu ex-marido.

Já Depp garante que nunca foi violento e chama a atriz de mentirosa, dizendo que seus supostos ferimentos foram maquiagem.

A vizinha disse que, quando ela entrou no recinto, Depp "estava gritando. Não me lembro exatamente o que ele estava dizendo, mas ela estava pedindo ajuda. Isso nunca tinha acontecido antes. [Ela estava] dizendo 'Socorro. Me ajude.'"

Ela contou ter colocado "minhas mãos no peito dele" e se lembrou de dizer: "Pare. Simplesmente pare. Fique calmo". Disse que se colocou na frente de Heard enquanto estava no sofá, mas Depp "estava gritando para ela se levantar".

A certa altura, disse Pennington, ela sentiu que precisaria se defender. Mas o pior não aconteceu porque os seguranças do ator chegaram e conseguiram tirá-lo de perto delas. Mesmo assim, ela viu o ator quebrar vários objetos na cozinha, antes de ir embora. Em seu testemunho, jurou que as fotos tiradas da destruição do apartamento não foram encenadas.

Descrita como "conhecida de Heard", Elizabeth Marz também testemunhou ter visto Johnny Depp possesso diante de uma Amber Heard com um "rosto inchado" após uma briga em 2016. "Parecia que ela havia sido atingida de alguma forma", disse Marz, que descreveu o comportamento e a presença do ator como assustadores.

"Se um homem adulto vem até você te chamando de cadela e te mandando sair, enquanto balança uma garrafa de vinho… eu saí correndo", disse Marz, que reforçou o testemunho inicial de Pennington ao afirmar que Depp "parecia estar bêbado" naquela noite de 2016.

A terceira testemunha foi da maquiadora e ex-amiga de Heard, Melanie Inglessis, que revelou ter maquiado o rosto arrebentado da atriz para uma aparição em 16 de dezembro de 2015 no programa de entrevistas de James Corden. "Cobrimos os hematomas com um corretivo mais pesado", explicou a maquiadora sobre porque Heard parecia relativamente ilesa na TV. "Um batom realmente vermelho para encobrir a lesão no lábio", continuou Inglessis, confirmando um corte no lábio que Heard afirmou ter sofrido.

O último depoimento por vídeo foi de Kristy Sexton, treinadora de atuação que trabalhou extensivamente com Heard ao longo de vários anos. "Johnny ficou muito mais sombrio com o passar do tempo", disse ela, sobre a diferença de comportamento do ator durante seu casamento.

Sexton afirmou que Depp passou a menosprezar a carreira de Heard e se tornou muito crítico e ofensivo sobre os tipos de papéis que ela estava assumindo. Ela descreveu os meses finais do relacionamento do casal como "muito tensos", lembrando que Heard começou a faltar a compromissos e a chorar com maior frequência à medida que "o relacionamento progredia e as brigas ficavam mais pesadas".

Já a irmã de Heard, Whitney Henriquez, testemunhou ao vivo sobre a violência que viu com seus próprios olhos.

Depp, segundo a ex-cunhada, era ciumento e possessivo. Desconfiava de "qualquer coisa" no celular da sua irmã, e ela acabou sendo envolvida em uma briga entre os dois na cobertura do ex-casal, em Los Angeles, em março de 2015. Segundo Whitney, ela teria sido acordada pela irmã no meio da madrugada e viu os dois trocavam ofensas como "saco de lixo usado" e "velho e gordo".

Segundo Henriquez, Heard confrontava o ator por uma traição, que ele assumia e dizia que tinha sido culpa dela.

Os ânimos ficaram exaltados e a irmã de Heard alegou ter sido agredida pelas costas por Depp ao tentar acalmar a situação. Amber Heard tomou partido e deu um murro no ex-marido: "Não machuque a minha irmã, porra". Ele reagiu. "Pegou a Amber pelo cabelo e bateu nela várias vezes".

"Johnny já havia agarrado Amber pelos cabelos com uma mão e ficou batendo repetidamente no rosto dela com a outra, enquanto eu estava lá", ela declarou

Henriquez disse que saiu da cobertura horrorizada, mas foi procurada pelo advogado do ator, que lhe propôs um acordo para não contar o que viu. Ela disse que se recusou a assinar o documentou e depois acabou sendo acusada por Depp de vender histórias à imprensa, o que ela nega.

Ao ser questionada sobre o uso de drogas de Depp, ela disse ter visto o ex-cunhado "consumir uma sacola ziplock cheia de pílulas".

A irmã de Heard também contou ter visto, quando os três estavam passeando de carro, Johnny segurar o cachorro do ex-casal para fora da janela, brincando que o jogaria na estrada. Também ameaçou colocar o animal em um microondas.

Ela ainda contou que sempre que o ex-casal brigava, algum dispositivo eletrônico da irmã acabava sendo espatifado por Depp. Como os ataques de fúria eram frequentes, a atriz teria perdido "um celular, um tablet e laptop".

Henriquez também tentou explicar porque sua irmã não rompeu com Depp, apesar das alegações de abuso desenfreado e contínuo, afirmando que o relacionamento da dupla era "nuanceado". "Eles brigavam, eles se amavam", disse ela.

Inicialmente, os dois pareciam estar muito apaixonados, ela afirmou. E o ator teria mostrado sua verdadeira natureza aos poucos, sufocando-a sem que ela percebesse. "Começou com piadas leves", disse ela.

No começo, Depp critica as roupas de Heard. "Então, ficou intenso. Eventualmente eles tiveram o mesmo stylist e ele controlava o que ela podia vestir para ir em eventos".

Então, Henriquez foi questionada sobre a natureza controladora de Johnny Depp. Ela afirmou que a atriz só podia vestir o que ele aprovava, e ele sempre mantinha um olho em seu celular.

Sob os "cuidados" de Johnny Depp, a irmã revelou que o estilo de Amber Heard foi se tornando "mais e mais conservador". Além disso, Henriquez disse que achava que a atriz não precisava tomar todas as medicações que ela consumia diariamente, sob o direcionamento de Depp.

Em certo ponto, Heard teria sido até proibida de ter qualquer senha em seu celular. Caso tivesse uma, deveria ser algo simples, que Johnny pudesse memorizar facilmente.

Todo o julgamento está sendo transmitido ao vivo pelo canal americano Court TV, disponível pela internet.

Veja abaixo os novos vídeos disponibilizados, com os depoimentos de Rachel Pennington e Whitney Henriquez.

Pipoca Moderna Pipoca Moderna
Publicidade
Publicidade