PUBLICIDADE

Bailarina da Imperatriz 'voa' puxada por balão com gás hélio

Escola de samba encerrou a primeira noite de desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro

12 fev 2024 - 06h43
(atualizado às 07h13)
Compartilhar
Exibir comentários
Bailarina voa durante desfile da Imperatriz
Bailarina voa durante desfile da Imperatriz
Foto: Alexandre Brum/Especial para o Terra

A escola de samba Imperatriz Leopoldinense encerrou a primeira noite de desfiles do Grupo Especial do Rio de Janeiro, na madrugada desta segunda-feira, 12. Em sua apresentação, a agremiação chamou a atenção com um balão gigante que fez uma bailarina flutuar a cerca de 10 metros do chão.

Sob o comando do carnavalesco Leandro Vieira e com o enredo Com a sorte virada para a lua segundo o testamento da cigana Esmeralda, a escola trouxe para a Marquês de Sapucaí cinco balões de gás hélio. 

Para inflar e preparar esses balões, a Imperatriz montou uma força-tarefa. Um caminhão carregado com cilindros de gás hélio foi utilizado, juntamente com uma equipe de mais de 10 homens. 

Neste ano, o enredo da escola mergulhou no misticismo e trouxe a narrativa do legado da cigana Esmeralda, inspirado em uma obra do poeta nordestino Leandro Gomes.

As alas da Imperatriz fizeram referências aos ciganos com detalhes brilhosos, que parecem ouro, e que ecoavam à medida que as pessoas andavam pela concentração. "Usei moeda, purpurina e paetê [para dar esse efeito]. Montei a Imperatriz neste ano como se as pessoas tivessem tomado um banho de ouro e purpurina", afirmou Leandro ao jornal O Globo.

Transformação de Paolla, Vivi iluminada e prisão: o 1º dia na Sapucaí Transformação de Paolla, Vivi iluminada e prisão: o 1º dia na Sapucaí

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade