PUBLICIDADE

Cantor R. Kelly é condenado por tráfico sexual de menores

O artista usou a sua fama por mais de 25 anos para atrair mulheres e meninas menores de idade para o seu entorno com fins sexuais

27 set 2021 18h09
| atualizado às 18h19
ver comentários
Publicidade

O artista norte-americano R. Kelly foi condenado por um júri federal nesta segunda-feira em seu julgamento por tráfico sexual, no qual promotores acusam o cantor de R&B de fazer uso de sua fama por mais de 25 anos para atrair mulheres e meninas menores de idade para o seu entorno com fins sexuais.

Jurados no tribunal federal do Brooklyn deliberaram por pouco mais de um dia antes de votarem pela condenação de Kelly, de 54 anos, em todas as acusações que ele enfrenta, após um julgamento que durou 5 semanas e meia.  

Retrato de R. Kelly ouvindo jurado ler veredito de culpado em julgamento
27/09/2021
REUTERS/Jane Rosenberg
Retrato de R. Kelly ouvindo jurado ler veredito de culpado em julgamento 27/09/2021 REUTERS/Jane Rosenberg
Foto: Reuters

Kelly manteve sua cabeça abaixada enquanto o veredito era lido, com seu rosto protegido por uma máscara branca. Uma mulher que assistia de uma sala de escuta chorou enquanto o veredito era lido.

Deveraux Cannick, advogado de Kelly, disse a jornalistas do lado de fora do tribunal que a defesa estava "desapontada". A audiência de sentença de Kelly foi marcada para o dia 4 de maio de 2022.

O cantor, cujo nome completo é Robert Sylvester Kelly, é uma das pessoas mais influentes julgadas por crimes sexuais depois do movimento #MeToo, que amplificou as acusações que o perseguiam desde o início dos anos 2000.

Assim como Kelly, muitas de suas acusadoras eram negras, o que diferencia o caso de condenações da mesma onda, como a do comediante Bill Cosby e do produtor cinematográfico Harvey Weinstein. A condenação de Cosby foi anulada em junho.

Reuters Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Publicidade
Publicidade