Viaduto e cinema antigo viram palco para dança em São Paulo

Com figurino de Fause Haten, “Blow Up” usa espaços alternativos para apresentações gratuitas

21 mai 2015
13h11
atualizado às 14h11
  • separator
  • 0
  • comentários

Se você é do tipo que gosta de sair da rotina quando o assunto é arte, reserve duas datas na sua agenda para ver o “Lado A” e o “Lado B” da coreografia “Blow Up (Vol. 2)”, do Núcleo Cinematográfico de Dança. As apresentações ocorrem neste mês em espaços alternativos da região central de São Paulo e têm entrada franca.

Como no cinema, dança oferece ao público a possibilidade de “ampliar” o movimento, se aproximando dos artistas em cena
Como no cinema, dança oferece ao público a possibilidade de “ampliar” o movimento, se aproximando dos artistas em cena
Foto: Mariana Sucupira / Divulgação

Mantendo uma ligação estreita com o mundo do cinema, o Núcleo se baseia desta vez na técnica de ampliação da imagem, conhecida como blow-up, usada para reproduzir películas de 16mm em 35mm e vice-versa.

A primeira parte, o “Lado A”, será apresentada de 21 a 24 de maio, embaixo do Viaduto Júlio de Mesquita Filho, no Bixiga, com acesso pela Rua Santo Antônio ou pela Rua João Passalacqua. As diretoras Mariana Sucupira e Maristela Estrela se juntam à Clara Gouvêa, Ilana Elkis, Juliana Gennari e Martina Sarantopoulos para a performance.

Já o “Lado B” terá sessões de 28 a 31 de maio no histórico Cine Art-Palácio, localizado na Avenida São João, no Centro. Bruno Kurru, Carolina Nóbrega, Clara Gouvêa, Daniel Kairoz, Ilana Elkis, Juliana Gennari, Leonardo Crochik, Les Commediens Tropicales, Mariana Sucupira, Marília Coelho, Maristela Estrela e Martina Sarantopoulos integram o elenco da segunda parte.

O estilista Fause Haten propôs um figurino no qual peças de roupas ganham novos usos e criam volumes a partir da sobreposição de camadas. André Boll assina o projeto de luz. O cenógrafo e arquiteto Luciano Bussab orientou a escolha e deslocamento pelos espaços e Felipe Ribeiro concebeu a trilha sonora.

As duas partes de “Blow Up (Vol. 2)” têm algo em comum: definem o espaço cênico de uma forma nada tradicional, permitindo ao público escolher como quer ver o espetáculo, pois pode se deslocar, se aproximando ou se afastando dos artistas.

Criado em 2002, o Núcleo Cinematográfico de Dança, apresentou no ano passado “Blow Up (Vol. 1)”, na Casa do Povo, em São Paulo, e se dedica atualmente à pesquisa de “Blow Up (Vol. 3)”.

“Blow Up (Vol. 2) – Depois, Após, Seguinte: Bifurcação Imprevisível”
Núcleo Cinematográfico de Dança

1ª PARTE
Lado A (Você Não Pode Construir Uma Árvore de Volta a Partir de Fumaça e Cinzas)
21 a 23 de maio, 21h
24 de maio, 20h
Viaduto Júlio de Mesquita Filho, Terreyro Coreográfico
Ponto de encontro em frente ao Teatro Oficina, na Rua Jaceguai, 520, Bela Vista
Grátis
Ingressos devem ser retirados com 1 hora de antecedência

2ª PARTE
Lado B (Tudo é Desastre)
28 a 30 de maio, 21h
31 de maio, 20h
Cine Art-Palácio - Avenida São João, 419, Centro
Grátis
Ingressos devem ser retirados com 1 hora de antecedência

Fonte: Cross Content
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade