PUBLICIDADE

Pomadas para tranças podem queimar e causar cegueira? Entenda o caso

Foliões no Rio de Janeiro e no Recife pararam em hospitais após produtos de cabelo escorrerem para os olhos

8 fev 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Pomadas são acusadas de causar lesões oculares
Pomadas são acusadas de causar lesões oculares
Foto: Microrao via Wikimedia Commons

Já estão na casa das centenas os casos de irritações nos olhos causadas por pomadas de cabelo desde o final de 2022. Na virada de ano, 130 mulheres foram a hospitais do Rio de Janeiro com dores, lesões e até cegueira após terem usado produtos para tranças nos cabelos. 

Durante a última semana, mais de 100 foliões de blocos pré-carnaval no Recife acabram no pronto-socorro pelo mesmo motivo. Mas o que pode estar causando isso?

Combinação tóxica é suspeita

Pedro Daud, médico especializado em oftalmologia pela Faculdade de Medicina do ABC (São Paulo), explica que algumas pomadas de cabelo têm na composição substâncias nocivas à córnea e à conjuntiva, dois tecidos que recobrem o olho.

Daud acredita que os culpados pelas queimaduras são dois compostos, amplamente usados na indústria de cosméticos, que podem ter caráter tóxico.

"A metilcloroisotiazolinona (MCI) e metilisotiazolinona (MI) podem ser as principais vilãs nas queimaduras oculares", diz.

"Por serem umas das estruturas com mais terminações nervosas de nosso organismo, quando lesadas, causam extrema dor, irritação e dificuldade de visão", afirma. 

Ao que tudo indica, os produtos nocivos usados nos penteados acabaram escorrendo para a região dos olhos durante banhos, chuvas, mergulos na piscina ou até pelo suor. 

Problemas causados pelas pomadas são graves?

Fotos que circulam na internet sobre casos ligados às pomadas mostram ceratites (um tipo de inflamação) conjuntivites químicas extensas e até mesmo úlceras de córnea. Segundo Daud, se forem lesões superficiais, o processo pode ser revertido. Mas, caso sejam profundas, algumas sequelas podem ser irreversíveis.

"São substâncias químicas de produtos não liberados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que causam queimadura química na superfície ocular. Isso é muito perigoso pois, dependendo do nível, pode deixar cicatrizes e perda visual grande", diz Natália Araújo, oftalmologista e colaboradora na Unifesp (Universidade Federal de São Paulo).

Ainda não está claro qual a substância especificamente responsável pelas lesões. Em meados de janeiro, a Anvisa divulgou uma lista de marcas de produtos para cabelo que tiveram suas licenças caçadas por não atenderem a normas sanitárias. 

Em agosto de 2021, a Anvisa publicou uma resolução com uma lista que regulamenta o uso de conservantes em cosméticos e produtos de higiene, estipulando que a concentração de MCI e MI deveria ser, no máximo, 0,0015%.

Além disso, o órgão definiu que os componentes só poderiam ser usados em produtos de enxague imediato após a aplicação.

Como evitar?

O primeiro passo para evitar esse tipo de situação é estar alerta e não usar produtos não regulados pelo órgão de vigilância sanitária. 

Caso o usuário sinta algum ardor nos olhos após aplicar algum composto no cabelo, ele deve lavar a região imediatamente. 

"Deve enxaguar copiosamente por alguns minutos, como qualquer queimadura, para remover o máximo de produto daquilo", diz a oftalmologista Natália Araújo. Em seguida, um serviço de saúde deve ser procurado pela vítima da lesão.

Fonte: Redação Byte
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Seu Terra












Publicidade