PUBLICIDADE

Os dispositivos eletrônicos podem nos escutar?

3 nov 2023 - 11h01
Compartilhar
Exibir comentários

Você já teve aquela sensação incômoda de que o seu celular escuta o que você conversa com amigos e familiares? Se pela manhã, você falou em voz alta sobre reformar a cozinha, bum, tudo o que aparece na tela do seu smartphone são conteúdos relacionados a isso, não é mesmo?

Exatamente por muitos de nós já ter experienciado algo parecido, certa teoria parece ganhar confirmação: dispositivos eletrônicos, como celulares e assistentes de voz, estão escutando nossas conversas. Mas será que isso é realmente verdade?

Será que esses dispositivos são tão intrusivos a ponto de captar e processar o que dizemos, mesmo quando não estamos interagindo diretamente com eles? Sim, isso de fato acontece, e é o que vamos explorar no artigo de hoje. Entenda como funcionam os algoritmos de voz e as preocupações relacionadas à privacidade dos usuários.

É verdade que o celular escuta tudo o que a gente fala?

Sim, seu smartphone possui um microfone e pode captar som ambiente. No entanto, a ideia de que ele escuta e processa tudo o que você diz o tempo todo é um mito - nas alegações das big techs.

De acordo com uma matéria do jornal The Guardian, a Amazon admite que seus dispositivos escutam seus usuários o tempo todo, "mas de maneira nenhuma transmitem tudo que ouvem".

A gravação só é iniciada quando a palavra-chave "Alexa" é dita. Então, esses dados são enviados para a nuvem e serão analisados posteriormente pelos funcionários da empresa. Afinal, a premissa de melhorar uma inteligência artificial da fala é "quanto mais dados, melhor".

O Google tem o mesmo posicionamento e a sua ferramenta de IA de chat, Bard, reforça esse argumento quando questionada se a sua dona espiona os usuários 24 horas por dia.

Resposta do Bard quando questionado
Resposta do Bard quando questionado
Foto:  Bard/Captura de tela  / Tecmundo

Quanto à Apple, empresa orgulhosa pela sua política de privacidade, as gravações são armazenadas por um período de seis meses, utilizando um código identificador em vez do nome do usuário.

Isso é feito para permitir que o sistema de reconhecimento de voz aprimore sua compreensão da voz da pessoa. Após esse período, uma segunda cópia é registrada, mas sem o uso do identificador, pelos dois anos seguintes para melhorar o desempenho da Siri.

Ou seja: nas palavras das big techs, os dispositivos podem ativar o microfone quando reconhecem palavras-chave, como "Ei, Siri" ou "Ok, Google". Mas, fora desses comandos específicos, eles não ficam gravando todas as suas conversas e enviando para as empresas.

Existem falhas que fazem os dispositivos nos escutarem o tempo todo?

O argumento apresentado acima se torna inconsistente quando, em outubro de 2017, durante o lançamento do Google Home Mini, concorrente do Amazon Echo Dot, um escritor chamado Artem Russakovskii recebeu um exemplar com defeito.

Após alguns dias, ele descobriu que o dispositivo estava gravando sua voz constantemente, o que levou o Google a descobrir a mesma falha em algumas unidades, resolvendo a questão por meio de uma atualização de software.

No entanto, o Electronic Privacy Information Center pediu que o produto fosse recolhido, alegando que a empresa estava interceptando e gravando conversas privadas sem consentimento dos consumidores.

Embora não houvesse evidências de espionagem intencional por parte do Google, o incidente levanta preocupações sobre a privacidade à medida que a tecnologia de voz se torna mais comum.

Teoricamente, empresas só ligam o microfone quando palavras-chave são ditas pelos usuários.
Teoricamente, empresas só ligam o microfone quando palavras-chave são ditas pelos usuários.
Foto:  GettyImages  / Tecmundo

Outra notícia preocupante envolve a Amazon, que concordou em pagar uma multa de US$ 25 milhões devido a supostas violações de privacidade infantil cometidas pela assistente virtual Alexa, conforme anunciado pelo Departamento de Justiça (DOJ) e a Comissão Federal de Comércio (FTC) dos Estados Unidos.

A empresa era acusada de armazenar gravações de crianças até setembro de 2019, só as apagando se os pais o fizessem manualmente. Além disso, em maio do mesmo ano, a Amazon foi denunciada por não cumprir pedidos de exclusão de dados de voz e geolocalização de menores de idade.

Acrescente a esse cenário as constantes ameaças cibernéticas realizadas por hackers que conseguem invadir câmeras Wi-Fi, Smart Tvs, caixa de som inteligentes, drones e até babá eletrônica!

Se por um lado estamos fascinado com a inteligência dos dispositivos eletrônicos que trazemos para casa, parece que nem mesmo suas fabricantes ainda não aprenderam a torná-los seguros para a sociedade.

Como eu faço para tirar a escuta do meu celular?

Se você está preocupado com a privacidade e quer garantir que seu celular não esteja ouvindo ou gravando conversas sem a sua permissão, há algumas etapas que você pode seguir para aumentar a segurança.

  1. Acesse as configurações do seu smartphone, verifique quais aplicativos têm permissão para acessar o microfone e revogue o acesso para aqueles que não precisam dele;
  2. Se você não usa regularmente assistentes de voz, como a Siri, Google Assistant ou Alexa, pode desativá-los nas configurações do seu dispositivo;
  3. Capas de celular que cobrem o microfone quando não está em uso são uma maneira física de garantir que não seja captado som sem o seu conhecimento;
  4. Mantenha as atualizações do sistema operacional do seu smartphone sempre em dia para corrigir problemas de privacidade e segurança;
  5. Leia a política de privacidade do fabricante do seu dispositivo para entender o que é coletado e como é usado.

Como funciona o algoritmo por voz?

Os assistentes de voz, como a Siri e o Google Assistant, usam algoritmos de processamento de linguagem natural (NLP) para entender e responder a comandos de voz.

Agora, o que é NLP? Ele é como um cérebro digital que permite ao seu smartphone entender o que você quer, mesmo quando o usuário fala de maneira informal ou usa diferentes palavras para expressar a mesma ideia.

O NLP também ajuda o assistente a entender o contexto. Por exemplo, se você pedir para "colocar uma música legal", o NLP sabe que você quer uma música boa, mesmo que você não tenha especificado o nome da música ou o artista. 

Ele também entende o contexto quando você faz uma pergunta de acompanhamento, como "Quem é o cantor dessa música?".

Como bloquear o acesso ao microfone do celular?

Para bloquear o acesso ao microfone do seu celular, siga as etapas:

Android:

iOS (iPhone):

Lembre-se de que, ao bloquear o acesso ao microfone, alguns aplicativos podem perder funcionalidades ou não funcionar corretamente. Portanto, avalie cuidadosamentequais aplicativos devem ter permissão de microfone e quais não.

Achou o conteúdo interessante? Veja também como proteger o celular e o tablet de ameaças digitais aqui no TecMundo. Até a próxima!

Tecmundo
Compartilhar
TAGS
Publicidade
Publicidade