PUBLICIDADE

Como funciona o Domo C de Israel, versão marítima do Domo de Ferro, que interceptou drone durante ataque do Irã no domingo; vídeo

Desde sábado, 13, israelenses foram alvos de 300 drones iranianos, mas não se sabe se a interceptação está relacionada aos ataques

15 abr 2024 - 10h51
(atualizado às 14h49)
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Israel desenvolveu o sistema de defesa 'Domo C' que interceptou com sucesso um drone aparentemente originário do Iêmen, que podia ser um dos alvos dos ataques de drones e mísseis do Irã ocorridos no sábado, 13.
Israel divulga imagens de ataque a drone interceptado no domingo:

Um novo sistema de defesa, chamado 'Domo C', que foi instalado em um navio de guerra israelense, conseguiu interceptar com sucesso um drone lançado no domingo, 14. No entanto, não está confirmado se a interceptação está relacionada aos ataques de drones e mísseis do Irã que ocorreram no sábado, 13. De acordo com as Forças de Defesa de Israel, o drone veio do Iêmen. As informações são da Reuters. 

O sistema em questão foi desenvolvido pela Rafael Advanced Defense Systems, uma empresa vinculada ao governo de Israel. Nesse domingo, as Forças de Defesa de Israel (IDF) divulgaram um vídeo que mostra o momento da interceptação do drone. Esta foi a segunda vez na semana em que o sistema Domo C foi utilizado. A primeira ocorreu na terça-feira, próximo a cidade israelense Eilat, quando o drone se aproximava do Mar Vermelho.

Foto: Forças de Defesa de Israel

A cidade vem sendo alvo de lançamentos de drones provenientes de um grupo rebelde do Iêmen apoiado pelo Irã. Israel mantém ataques em Gaza, controlada pelo Hamas, desde que foi invadida pelos terroristas em 7 de outubro.

Entenda 

Um inédito ataque direto foi lançado pelo Irã contra Israel na noite deste sábado, 13, e utilizou drones-kamikaze não tripulados e mísseis. Segundo Israel, foram mais de 300 artefatos lançados, mas o sistema de defesa israelense conseguiu interceptar a maioria deles. 

O ataque ocorreu depois de Israel atacar um consulado iraniano em Damasco, na Síria, e matar sete membros da Guarda Revolucionária Iraniana, entre elas, um general, o que foi visto pelo país como um ataque direto à nação. O governo prometeu retaliação. O caso gerou um ‘alerta máximo’ às forças de segurança israelita.

De acordo com um levantamento feito em 2023 pelo Instituto Internacional de Estudos Estratégicos (IISS, na sigla em inglês), o Irã é segundo país do Oriente Médio com mais contingente militar, ficando atrás somente do Egito. Ao todo, são 650 mil militares. Só a Guarda Revolucionária é responsável por 190 mil desses combatentes. 

Enquanto isso, Israel possui 177,5 mil pessoas em seu efetivo, contando com militares do Exército, Marinha, Aeronáutica e outras forças nacionais. Os reservistas convocados quanto há conflito não estão dentro deste número. 

Armamento bélico

Em relação a arsenais de mísseis balísticos e drones, o do Irã também é um dos maiores do Oriente Médio. Isso inclui mísseis de cruzeiro e antinavio, além de balísticos, com alcances de até 2 mil quilômetros. 

Um dos equipamentos usados no ataque contra Israel foi o drones-kamikaze, modelo Shahed-136. Segundo o portal internacional de notícias da indústria de defesa Army Technology, o item origem iraniana é fabricado pela Empresa Industrial de Fabricação de Aeronaves do Irã (Hesa), uma subsidiária da Organização das Indústrias de Aviação do Irã (IAIO), uma empresa estatal controlada pelo Ministério da Defesa e das Forças Armadas iraniana.

O modelo, que existe desde 2021 e pesa 200kg, possui o formato de asa delta, com 3,5m de comprimento e 2,5m de largura. Ele consegue transportar até 40kg de ogivas e pode ser montado e lançado a partir de um caminhão militar ou comercial. O drone pode atingir uma velocidade máxima de 185 km/h. Conforme a Reuters, uma característica da nave é que a baixa assinatura radar, ou seja, é difícil de ser detectada.

Contribuindo para o arsenal aéreo, o Irã tem 551 aeronaves, entre eles, estão 186 aviões de aviões de caça e 23 de ataque. Já Israel possui mais unidades: 612 aviões, contando com 241 de caça e 39 de ataques.

Nas forças terrestres, de acordo com Firepower, Israel conta com mais tanques de guerra do que o Irã, 1996 em comparação com 1390. Na qualidade dos veículos, o país de Benjamin Netanyahu também sai na frente, com o tanque de Markava, um dos melhores blindados do mundo.

Com relação a força Naval, o Irã tem 67 unidades em seu inventário naval, enquanto Israel tem 59, mas a frota israelense é mais moderna, de acordo com o diretório Mundial de Navios de Guerra Militares Modernos. 

O grande diferencial de Israel é a posse de bombas nucleares. Estima-se que o país tenha secretamente um arsenal de armas nucleares de 70 a 400 ogivas, segundo a Federação dos Cientistas Americanos (FAS). O Irã não tem capacidade nuclear, embora desenvolva um programa atômico há anos.

Drones assassinoss que agem sozinhos preocupam os EUA Drones assassinoss que agem sozinhos preocupam os EUA

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade