PUBLICIDADE

Diabéticos: qual a importância do exercício físico e como dosar a intensidade

Atividade regular ajuda os diabéticos a controlarem o nível de açúcar no sangue, melhora o funcionamento do coração e do sistema respiratório

26 jun 2022 - 10h27
(atualizado em 27/6/2022 às 16h45)
Ver comentários
Publicidade
Exercícios ajudam diabéticos no tratamento
Exercícios ajudam diabéticos no tratamento
Foto: Shutterstock / Sport Life

Hoje é o Dia Nacional do Diabetes. E, de acordo com o Atlas da International Diabetes Federation (IDF), o Brasil ocupa o 5º lugar no ranking de países com o maior número de diabéticos, ficando atrás de China, Índia, Estados Unidos e Paquistão. Os dados também apontam que, do total de 16,8 milhões de brasileiros, 95 mil possuem diabetes tipo 1.

Medicações e mudanças nos hábitos alimentares, embora sejam os principais tratamentos contra a doença, não são os únicos. Praticar exercícios físicos regulares também costumam ter grande importância. "Pacientes que são diabéticos podem praticar qualquer atividade física, pois ajuda muito no controle da glicemia e assim será possível reduzir as doses de insulina ou das medicações", diz a Dra. Bruna Manes Laudano, médica especializada em nutrologia e endocrinologia.

E o ideal é seguir as recomendações estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS): praticar 150 minutos de exercícios semanais, intercalando entre treinos anaeróbicos (musculação) e aeróbicos (corrida, caminhada).

"Se o paciente estiver com a glicemia controlada, o exercício vai ajudar a manter o controle. Porém, se ela estiver descompensada, o paciente pode entrar em cetoacidose", alerta.

Não exagere nos treinos

A cetoacidose diabética é um quadro de descompensação de diabetes por falta da ação de insulina, que se não tratado pode levar ao coma. Os sintomas incluem sede, micção frequente, náuseas, dor abdominal, fraqueza, hálito cetônico (odor característico, similar ao de frutas envelhecidas) e confusão mental.

Assim ela alerta os pacientes com diabetes tipo 1, pois eles "devem ter mais cuidado com a hipoglicemia, que pode aumentar durante o treino. Então eles devem sempre avaliar a glicose no pré-treino e se alimentar corretamente para praticar a atividade física", ressalta a médica.

Observações: Não podem realizar qualquer atividade física os pacientes com glicemia maior que 250NG/DL e que apresentem sinais de cetose. Além deles, indivíduos o qual a glicemia for maior que 300NG/DL, seja com ou sem cetose, também devem tomar um cuidado extra.

Sport Life
Publicidade
Publicidade