Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Zelenski pede que Alemanha derrube muro que divide a Europa

Presidente da Ucrânia apelou diretamente ao chanceler federal alemão e acusou a Alemanha de não ter feito o suficiente para evitar a guerra

17 mar 2022 07h53
Compartilhar
Volodimir Zelenski falou na manhã desta quinta-feira, 17, ao Bundestag, o Parlamento alemão
Volodimir Zelenski falou na manhã desta quinta-feira, 17, ao Bundestag, o Parlamento alemão
Foto: Lisi Niesner

Três semanas após o início da invasão da Ucrânia pela Rússia, o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, falou na manhã desta quinta-feira, 17, ao Bundestag, o Parlamento alemão, por videochamada, pedindo mais apoio.

Em referência à queda do Muro de Berlim, Zelenski apelou diretamente ao chanceler federal alemão, Olaf Scholz, para que destrua o que chamou de um muro entre a Europa "livre e não livre". "Caro senhor chanceler federal Scholz, destrua esse muro. Dê à Alemanha o papel de liderança que ela merece. Apoie a liberdade, apoie a Ucrânia", disse.

Publicidade

Ele acusou a Alemanha de não ter feito o suficiente para evitar a guerra e ter contribuído para que fosse erguido esse novo muro na Europa, isolando a Ucrânia por meio de negócios com a Rússia e do gasoduto Nord Stream 2, construído para levar gás diretamente da Rússia para a Alemanha.

"É um muro entre liberdade e ausência de liberdade e ele fica maior a cada bomba que cai sobre a Ucrânia, com cada decisão que não é tomada", afirmou Zelenski.

A Alemanha mudou sua política de não enviar armas a regiões de conflito e mandou equipamentos militares à Ucrânia. No entanto, segue sustentando a posição da Otan de não enviar tropas ao país, o que significaria se envolver diretamente na guerra.

O discurso de Zelenski ao Bundestag é parte de uma série de apelos diretos a líderes mundiais. Antes, o presidente ucraniano já havia discursado ao Congresso dos Estados Unidos e ao Parlamento canadense.

Publicidade

 

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas.
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações