Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Rio: militares da Marinha sequestram e matam perito da Políca Civil

Envolvimento dos oficiais consta da principal linha de investigação da polícia a respeito do crime ocorrido na última sexta-feira, 13

15 mai 2022 14h37
| atualizado em 16/5/2022 às 15h36
Compartilhar
Renato Couto foi morto depois de investir ferro-velho no Rio de Janeiro
Renato Couto foi morto depois de investir ferro-velho no Rio de Janeiro
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Quatro homens foram presos, entre eles dois sargentos e um cabo da Marinha, por suspeita de envolvimento no assassinato do perito papiloscopista da Polícia Civil Renato Couto de Mendonça, no Rio de Janeiro. O crime teria ocorrido após uma desavença entre a vítima e o dono de um ferro-velho, localizado na Praça da Bandeira, na zona norte da cidade, na última sexta-feira, 13.

As investigações apontam que Renato Couto de Mendonça, que trabalhava no Instituto de Identificação Félix Pacheco (IIFP), foi sequestrado pelo filho do proprietário do ferro-velho ao lado de colegas, todos militares da Marinha.

Publicidade
Vídeo mostra discussão entre perito e dono de ferro-velho
Video Player

De acordo com a Polícia Civil, uma viatura da Marinha foi usada no crime.

Segundo a principal linha de investigação da polícia, Renato foi morto e teve o corpo jogado no rio Guandu, no município de Japeri, na Baixada Fluminense. A polícia informou que os presos serão autuados por homicídio qualificado e ocultação de cadáver.

A equipe da 18ª Delegacia de Polícia, da Praça da Bandeira, recebeu a informação sobre o crime, e os agentes conseguiram identificar e prender, neste domingo, 15, os homens apontados como autores do assassinato. Os policiais ainda fazem buscas para localizar o corpo do perito.

A ação para prender os apontados pelo assassinato contou com agentes da 18ª DP, da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) e do IIFP.

Publicidade
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações