PUBLICIDADE

Você provavelmente não sabe o que é um alimento orgânico

Um alimento orgânico é algo muito mais simples do que você imagina, venha descobrir o porquê.

31 mai 2023 - 12h30
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: CanvaPro

Em um domingo de sol, cheguei na quebrada para um churrasco com a família. Como eu já era vegano, decidi levar uma lasanha de presunto e queijo feitos sem nada de origem animal (na época trabalhava como auxiliar de cozinha em um estabelecimento e tive esse privilégio). Chegando lá, cumprimentei amigos e familiares, todo mundo sorrindo e conversando, aquela energia gostosa de uma resenha de domingo aí alguém me perguntou ''E aí Du, o que você trouxe?'', eu respondi que tinha levado uma lasanha de presunto e queijo, e precisava esquentar antes de comer.

A maioria das pessoas ficou com água na boca, acharam muito bonito e diferente (afinal, o queijo e o presunto são vegetais e não de origem animal), mas teve um rapaz em específico que fez um comentário assim ''De coisa orgânica eu passo longe, quero nem saber''.

É claro que eu não falei nada, todo mundo comeu a lasanha (menos esse rapaz), ficaram impressionados que não tinha nada de origem animal ali e pronto.

O que me chamou a atenção é que as pessoas não sabem de fato o que é um alimento orgânico, porque aquela lasanha não tinha absolutamente nada de orgânico, era massa de lasanha feita com farinha de trigo, molho de tomate, presunto vegano feito com um processo industrial de defumação, e o queijo era um processo de fermentação (como todos os queijos), só não tinha leite de vaca.

A definição de orgânico é simples: cultivado sem a adição de insumos químicos, fertilizantes ou pesticidas. Um alimento orgânico é qualquer fruta, legumes, grãos ou cereais produzidos sem o uso de agrotóxicos, ou seja, aquele pé de limão ou pé de acerola, ou até mesmo aquela bananeira no quintal, é apenas isso.

O que deturpou a imagem de alimentos orgânicos no Brasil, foram os altos valores dentro de grandes redes de supermercados, devido ao custo da produção, o baixo incentivo, e os selos de certificação que cercam esses alimentos sem agrotóxicos que são caros e inacessíveis para o pequeno produtor, e os tornam super valorizados e o que era para ser um alimento comum e normal, se tornou um alimento exclusivo de uma classe privilegiada. E devido ao alto preço, a própria publicidade direciona esse termo para uma classe específica, distorcendo o real significado do termo.

Para adquirir um selo brasileiro de alimento orgânico não é tão simples e tão pouco barato, ainda mais para produções de pequena escala, e os produtores não têm tanto incentivo quanto a produtores de larga escala.

Todo produto orgânico vendido em lojas e supermercados precisam do selo de certificação brasileiro. No entanto, se olharmos para as hortas comunitárias, para a agricultura familiar e os pequenos produtores, seja onde for, geralmente encontramos os mesmo alimentos orgânicos com preços muito mais baratos.

Foto: CanvaPro

Hoje, a maioria da população tem uma imagem que só come alimento orgânico quem tem condições financeiras, o que não é verdade. Com essa confusão o povo ingere uma quantidade enorme de veneno diariamente, acreditando que um alimento orgânico é algo exótico, e caro.

Se liga:

O que é importante sabermos é o porquê o termo 'orgânico' tomou conta dos noticiários nos últimos anos. O Brasil é o país que mais utiliza veneno/agrotóxicos para produzir alimentos no mundo. Enquanto diversos agrotóxicos são proibidos no mundo, o Brasil usa todos, sem restrição.

O contato a curto, médio e longo prazo com essas substâncias utilizadas na produção agrícola podem ocasionar grandes problemas à saúde humana. Mesmo com todos os cuidados, lavando muito bem os alimentos, e até mesmo utilizando produtos para lavá-los, esse veneno muitas vezes penetra nos tecidos vegetais, fazendo com que a lavagem não seja suficiente e remova apenas uma parte dele.

Além disso, apesar de a água sanitária e demais produtos serem eficazes para eliminar micro-organismos, eles são inúteis contra agrotóxicos.

Vegano Periférico Leonardo e Eduardo dos Santos são irmãos gêmeos, nascidos e criados na periferia de Campinas, interior de São Paulo. São midiativistas da Vegano Periférico, um movimento e coletivo que começou como uma conta do Instagram em outubro de 2017. Atuam pelos direitos humanos e direitos animais por meio da luta inclusiva e acessível, e nos seus canais de comunicação abordam temas como autonomia alimentar, reforma agrária, justiça social e meio ambiente.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade