PUBLICIDADE

Pianista de Diadema supera adversidades e se destaca com repertório autoral

Alvaro de Mattos fez da música aliada para lidar com síndrome genética, aprendeu piano com pai e já compôs 36 canções

4 set 2023 - 05h00
Compartilhar
Exibir comentários
Pianista Alvaro de Mattos ensaiando as partituras
Pianista Alvaro de Mattos ensaiando as partituras
Foto: Luciana Gandelini/Divulgação

Apaixonado por música desde a infância, o pianista e compositor Alvaro de Mattos, 24, morador de Diadema, no ABC Paulista, começou a tocar piano aos quatro anos com o pai. “Aprendi as notas musicais do teclado vendo meu pai tocar, na época ele gravava fitas cassete com músicas infantis.”  

Nascido com uma síndrome genética não diagnosticada, que dificultava a comunicação e a respiração, Mattos não conseguia cantar. A música e o acompanhamento de uma fonoaudióloga passaram a ser fundamentais em seu desenvolvimento.  

“A música ajudou a trabalhar a respiração para fazer uma nota mais longa, não exigindo tanto do pulmão. Hoje, tenho mais facilidade e consigo me adaptar”, diz.  

Alvaro é natural de São João do Meriti, região metropolitana do Rio de Janeiro, onde viveu toda adolescência com os pais. Começou a tocar piano em uma igreja evangélica batista com o pai, o compositor e multi-instrumentista Jorge Moreira.  

As composições começaram a surgir em 2011, com referências do pai e do pianista americano Scott Joplin, que desenvolveu o estilo ragtime clássico e jazz. Por essas condições, se considera autodidata, pois aprendeu a compor apenas seguindo referências. Hoje, já tem 36 músicas autorais.  

Alvaro tocando piano na infância, quando aprendeu a tocar o instrumento com o pai
Alvaro tocando piano na infância, quando aprendeu a tocar o instrumento com o pai
Foto: Reprodução/Instagram/alvaropianoseargolas104

Em 2018, decidiu morar com a irmã em São Bernardo do Campo. No novo município, conheceu alguns espaços culturais como teatro e biblioteca, onde pode se dedicar ao que mais gosta: tocar piano.  

"Chego nos lugares que tem piano, me apresento como pianista e fico ensaiando minhas composições por meia hora, às vezes, até uma hora por dia.” 

Atualmente, ele mora em Diadema e trabalha como arquivista, organizando as partituras, uma espécie de acervo musical no Teatro Martins Pena (Centro Livre de Música) em São Bernardo, onde aproveita para tocar o piano após o expediente.  

O artista gosta de ensaiar diariamente. No fim do ano passado, incentivado por alguns amigos, fez um financiamento coletivo para comprar um teclado. Ele realizou uma live e postou fotos da apresentação, conseguindo arrecadar R$ 800 para adquirir o instrumento. “Escolhi um teclado que sempre tive vontade de ter, realizei um sonho antigo”, diz.  

Alvaro fez o primeiro show no Cine Theatro de Variedades Carlos Gomes, durante o Festival Multicultural – Especial Dia das Mães, em maio deste ano, na cidade de Santo André, ABC Paulista. O público ficou encantado com a habilidade e o repertório do jovem. Em julho, fez uma participação no Festival de Paranapiacaba. Neste ano, realizou ainda outras apresentações na região do ABC.  

Para Jorge Moreira, 68, pai do músico, o filho tem um talento nato com as notas musicais. “Ele pegou o estilo e acabou desenvolvendo. Tinha noção dos números gravados na cabeça e os associou com a música”, conta.  

Alvaro costuma compartilhar seu trabalho no Instagram, incluindo apresentações e o repertório musical. Para o futuro, planeja aprofundar seus conhecimentos em música instrumental, por meio de cursos profissionais, e realizar o sonho de se apresentar no Theatro Municipal de São Paulo.  

Agência Mural
Compartilhar
Publicidade
Publicidade