PUBLICIDADE

Contadora larga emprego de 20 anos para abrir o próprio negócio

Tânia Sales, de 48 anos, hoje é referência na área de consultoria e contábil e faz parte de Rede Mulher Empreendedora

9 mar 2023 - 11h03
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Reprodução/Instagram

A busca pela autonomia no trabalho e independência financeira tem transformado a vida dos brasileiros. Com isso, o empreendedorismo tem se tornado uma porta de saída para muitos que querem fazer sucesso no mundo dos negócios.

E foi o que aconteceu com Tânia Sales, nascida e criada em Osasco, que hoje sabe qual é a sensação de ser uma referência no mundo empreendedor. Ela resolveu mudar de vida ao largar seu emprego numa empresa de contabilidade, onde ficou por quase 20 anos, para fundar seu próprio empreendimento.

Foi ainda no cargo de liderança na empresa onde trabalhava que Tânia passou a observar oportunidades de desenvolvimento. Foi aí que começou a incentivar sua equipe.

No entanto, ela também começou a perceber que já não tinha mais espaço para se desenvolver como funcionária. E foi em 2019 que ela criou sua empresa, a Taps Consultoria, que auxilia no desenvolvimento de novos microempreendedores. 

Aos 48 anos, Tânia considera viver a melhor fase da sua vida. A empresária hoje é uma potência na área da consultoria e contabilidade. Ela também possui uma lista extensa de qualificações como Gestão, Contabilidade e Liderança. 

“Os movimentos sociais me trouxeram até aqui. Hoje eu sei que esse é meu lugar. Quero poder continuar ajudando pessoas e integrando os sonhos dessas pessoas aos meus. Quando uma mulher evolui, toda uma cadeia se move. Principalmente a mulher preta, que está na parte debaixo da pirâmide”, relatou Tânia. 

Nessa sua trajetória como empreendedor, Tânia já coleciona grandes conquistas. Ela faz parte do Rede Mulher Empreendedora, como uma das embaixadoras e mentora de negócios. 

Atualmente, ela também é diretora do CMEC Osasco, conselheira do Conselho da Mulher em Osasco e do Comtur Osasco. 

“Eu me entendi como mulher negra depois dos 40 anos. E, a partir daí, vi a necessidade em me destacar de alguma forma. Queria mostrar o meu coletivo para essas lideranças. E consegui esse respeito, esse crédito na sociedade. Ganhei minha autoestima, consegui construir essa rede de mulheres para se potencializar. Isso é fundamental”, ressaltou a empreendedora.

Fonte: Visão do Corre
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade