PUBLICIDADE
Patrocínio Logo do patrocinador

5 problemas de pele mais comuns durante o verão

Dermatologista explica como evitar estas doenças no período de altas temperaturas

6 nov 2023 - 11h01
(atualizado em 10/11/2023 às 13h08)
Compartilhar
Exibir comentários

Constante e diária exposição ao sol extremo, idas frequentes à praia e à piscina, alto nível de umidade, pouco uso de protetor solar e pouca hidratação. Esses são alguns dos principais motivos para que o verão seja a estação do ano que mais causa doenças de pele entre a população. 

No verão, as doenças de pele aumentam e, ao sinal de sintomas delas, a consulta ao especialista é fundamental
No verão, as doenças de pele aumentam e, ao sinal de sintomas delas, a consulta ao especialista é fundamental
Foto: Elnur | Shutterstock / Portal EdiCase

A dermatologista Ana Carolina Sumam, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), lista quais são as doenças mais comuns durante o verão, quais são os principais motivos para que elas surjam e como evitá-las. Confira!

1. Micose

A dermatologista explica que a "micose é uma infecção provocada por um crescimento excessivo de fungos. Não afeta só a pele, apesar de ser mais comum, mas também as unhas e o couro cabeludo. Apesar disso, normalmente surge nas partes do corpo que são mais quentes e úmidas, já que são mais favoráveis à reprodução dos micro-organismos. Seus principais sintomas são descamação e forte coceira no local, vermelhidão e ressecamento".

Ana Carolina recomenda alguns cuidados para evitar a doença:

  1. Secar bem o corpo, principalmente após banhar-se no mar ou na piscina, e especialmente nas regiões de dobras, como os espaços entre os dedos das mãos e dos pés, nas axilas e na virilha;
  2. Não compartilhar objetos pessoais, como toalhas, roupas de banho e roupas íntimas; 
  3. Ficar atento em ambientes comunitários, como piscinas, vestiários e banheiro, já que neles a proliferação de fungos é maior. 

2. Pitiríase versicolor

"Pode-se dizer que é a doença mais comum dessa estação, é conhecida como 'micose de praia ou 'pano branco', surge por conta do fungo Malassezia furfur, que cria placas escamosas de cor transparente, diferente da cor natural da pele, principalmente no pescoço, no tronco e no rosto; ela costuma surgir pelo conjunto dos fatores de calor, umidade, pele oleosa, transpiração excessiva e baixa resistência imunológica", detalha a dermatologista. 

Não existem hábitos que podem evitar a condição, mas o uso de sabonetes e shampoos antifúngicos pode remover a camadas de células mortas da pele que estão contaminadas pelo fungo, além de também impedir a invasão da pele. Pomadas antifúngicas e antifúngicos orais também são tratamentos recomendados para a pitiríase versicolor. 

3. Foliculite

Ana Carolina esclarece que, no verão, por conta da alta produção de suor e pelo calor, é comum ocorrer a inflamação dos folículos pilosos. Geralmente causada por bactérias, tem uma aparência semelhante a espinhas e costuma surgir nas áreas de pele, axilas e virilha entre as mulheres; na barba e na nuca entre os homens. 

"É uma época em que as pessoas se depilam muito, na maioria das vezes de forma errada. Não fazem uma boa hidratação na pele, usam roupas justas também: esses são hábitos que precisam mudar para que a condição seja tratada", aponta a profissional. Trocar a depilação com barbeador para uma depilação a laser ou com cera, por exemplo, e usar roupas mais leves e com tecidos mais finos também são ações indicadas.

4. Acne solar

É comum que as pessoas não saibam que existem tipos de acne, muito menos uma específica durante o verão. Diferentemente da habitual, que costumamos ver no rosto, a acne solar normalmente surge nos ombros e no tronco após um período longo de exposição ao sol, e as lesões costumam ser menores que a acne tradicional.

Utilizar protetor solar auxilia na prevenção ao melasma
Utilizar protetor solar auxilia na prevenção ao melasma
Foto: LADO | Shutterstock / Portal EdiCase

5. Melasma

Caracterizado por manchas acastanhadas, lisas e planas, geralmente no rosto, mas podendo surgir em outras partes do corpo, também ocorre por uma exposição solar excessiva, principalmente se não houver a aplicação de protetor solar. 

"Normalmente aparece na testa, no buço e nas maçãs do rosto, tem formato irregular, mas [as manchas] não coçam ou ardem. Para evitar que o melasma surja, é necessário dar bastante atenção ao uso do protetor solar, que deve ter um fator de proteção superior a 30, deve ser reaplicado constantemente e sempre ser usado antes de sair de casa, mesmo que não fique muito tempo em exposição ao sol, mesmo que seja uma saída rápida na rua", alerta a especialista. 

Cuidados necessários durante o verão

A dermatologista Ana Carolina recomenda alguns passos para que a pele fique saudável durante a estação:

  • Use protetor solar diariamente e constantemente, reaplicando de 3 em 3 horas, com fator de proteção 30, no mínimo;
  • A hidratação é necessária e não deixará o local mais oleoso. Basta usar o hidratante recomendado para o seu tipo de pele; 
  • Se possível, utilize chapéu ou boné para proteger o rosto e o couro cabeludo do sol extremo.

Por Beatriz de Mello

Portal EdiCase
Compartilhar
Publicidade
Publicidade