PUBLICIDADE

Lima

Centro financeiro de Lima oferece lazer e hotéis 5 estrelas

ver comentários
Publicidade
Vista do centro financeiro de San Isidro, o mais pujante de Lima
Vista do centro financeiro de San Isidro, o mais pujante de Lima
Foto: Carlos Montalva/Creative Commons

A poucos meses de completar 82 anos de fundação, em abril, o distrito de San Isidro ainda preserva parte de seu passado, representado principalmente em construções como igrejas e edifícios coloniais. Por outro lado, o moderno, arranha-céus espelhados refletem o pujante centro financeiro de Lima, onde estão localizados os maiores bancos do país, sede de empresas multinacionais e forte presença de comércio. Não à toa, a maioria dos negócios na capital peruana é fechada em San Isidro.

Composta por moradores de classe média alta, a região tem o maior índice de desenvolvimento humano do Peru. Segura e tranquila, ela abriga alguns dos melhores hotéis do país, que oferecem internet de alta velocidade, bons restaurantes e salas para eventos e reuniões – um deles é o segundo prédio mais alto da nação andina, com 120 metros e 34 andares. Por isso, muitos dos executivos que visitam Lima preferem se hospedar em San Isidro.

Com quase 60 mil habitantes, o distrito concentra mais de 20 instituições bancárias, 28 embaixadas, 30 restaurantes, 15 casas noturnas, 5 mil estabelecimentos comerciais e 403 m² de área verde – quase três estádios do Maracanã. Nesta última destaca-se o Bosque El Olivar, declarado Monumento Nacional em 1959. A mais representativa paisagem de San Isidro (e uma das mais belas da capital peruana) é repleta de oliveiras, e foi abandonada pelos espanhóis após a independência, em 1821. Hoje, nativos e turistas costumam passar as tardes de domingo no local ao som do canto de pássaros.

O distrito também respira cultura. Nele está localizada a mais completa e maior biblioteca de Lima, a Biblioteca Municipal de San Isidro. Além disso, a região conta com um importante monumento do período pré-colombiano, o Museo de Sitio de Huallamarca. A pirâmide era utilizada como um centro cerimonial na época pré-inca. Atualmente abriga artefatos da época e tumbas que datam do século 3 ao 15.

Fonte: PrimaPagina
Fonte: Terra
Publicidade
Publicidade