PUBLICIDADE

Mercado Central de Fortaleza: melhores compras, história e mais

Separe algumas horas para explorar os quatro andares do prédio, repleto de artesanatos, couro, castanhas e outros quitutes

19 mai 2024 - 10h33
Compartilhar
Exibir comentários

Ao lado da Catedral de Fortaleza , entre o centro da capital cearense e a Praia de Iracema , o Mercado Central de Fortaleza é parada obrigatória na capital cearense. O prédio de cinco andares abriga mais de 550 lojas e tem uma variedade quase inesgotável de produtos. 

Primeira versão do Mercado foi construída com madeira na Rua Conde D'Eu no século 19
Primeira versão do Mercado foi construída com madeira na Rua Conde D'Eu no século 19
Foto: Jade Queiroz/MTUR/Flickr / Viagem e Turismo

No primeiro piso, foi construído um estacionamento, mas os outros quatro estão repletos de boxes que vendem roupas - as tradicionais camisetas "estive em Fortaleza e lembrei de você" - , bolsas de palha trançada, sandálias de couro, chapéus, pimentas, rapaduras, tecidos, redes e artesanatos.

O colorido labirinto de corredores, produtos e rampas
O colorido labirinto de corredores, produtos e rampas
Foto: Jade Queiroz/MTUR/Flickr / Viagem e Turismo

Iguarias locais também são vendidas a rodo, principalmente castanha de caju e suas variações: doce, licor, caramelizada, torrada. Tem também queijo coalho, rapadura de milho verde e muito mais. Uma das lojas mais tradicionais é a do Barbosa (Cazuza), no piso térreo, que também vende cachaças e licores.

Os restaurantes são quatro e também focam na comida local. O mais antigo deles, o Restaurante Central, é self-service e tem uma variedade de pratos típicos, como a carne de carneiro, a peixada, o feijão verde com quiabo e a buchada.

Os artesanatos são outro grande chamariz do Mercado Central desde 1931, quando começaram a ser vendidos. O que chama mais atenção são os bonecos de barro, que vão de ícones da história nordestina, como Lampião e Maria Bonita, até personagens da cultura pop como Yoda, da saga Star Wars.

A dica para explorar os corredores do Mercado Central é começar pelo terceiro andar, onde o movimento de pessoas costuma ser menor, e ir descendo. 

História do Mercado Central de Fortaleza

A primeira versão do centro comercial abriu em 1809 para venda de carnes, frutas e verduras em uma construção de madeira na Rua Conde D'Eu, onde hoje está o Centro Cultural Banco do Nordeste. 

A estrutura de madeira não durou muito e foi demolida cinco anos mais tarde para dar lugar a um prédio. Já em 1931, o comércio de carnes, frutas e verduras foi proibido e por isso novos produtos, como o artesanato, começaram a ser vendidos.

Na década de 1970, novos boxes foram construídos e o mercado foi reinaugurado, ainda na Rua Conde D'Eu.

O prédio com quase 10 mil metros quadrados no endereço atual - a Avenida Alberto Nepomuceno -, só foi aberto em 19 de janeiro de 1998.

O projeto do prédio é do arquiteto Luiz Fiúza
O projeto do prédio é do arquiteto Luiz Fiúza
Foto: Jade Queiroz/MTUR/Flickr / Viagem e Turismo

A fachada do Mercado Central tem um arco que se assemelha com a entrada de um estádio de futebol. Por dentro, a arquitetura é igualmente interessante, com rampas que conectam os diferentes pisos e formam um emaranhado de vias no centro do prédio. Ainda em maio começam as obras de reforma que deve durar 12 meses. 

Serviço

Mercado Central de Fortaleza

Quando? De segunda a sexta-feira, das 9h às 17h. Aos sábados, das 9h às 17h. Aos domingos, das 8h às 13h.

Quanto? Entrada gratuita.

Onde? Av. Alberto Nepomuceno, 199 - Centro, Fortaleza, Ceará.

Encontre hospedagem em Fortaleza

Busque os melhores voos para Fortaleza

Viagem e Turismo
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade