0

Caribe

Trinidad e Tobago mescla agito e calma no Caribe venezuelano

7 jan 2013
07h16
atualizado às 07h16
  • separator
  • comentários

Charmoso por natureza, Trinidad e Tobago fica ainda mais atraente pela mescla de agito de uma grande capital com a calmaria de uma cidadezinha do interior. Na região do Caribe venezuelano, o destino de 5 mil km² é formado pelas grandes ilhas que dão nome ao país, além de dezenas de ilhotas. Entre as principais atividades turísticas estão suas belas praias, suntuosas florestas e a tradicional observação de aves.

Destino de 5 mil km² é formado pelas grandes ilhas que dão nome ao país, além de dezenas de ilhotas
Destino de 5 mil km² é formado pelas grandes ilhas que dão nome ao país, além de dezenas de ilhotas
Foto: Shutterstock

Irmãs de personalidades distintas, Trinidad e Tobago oferecem um ambiente descontraído nas férias. A primeira (e maior) é marcada pelo burburinho da capital, Port of Spain, com galerias de arte, restaurantes, belíssimas praias e florestas com trilhas. Já Tobago, é mais serena, ideal para curtir dias de sossego entre florestas tropicais e praias com recifes de corais ricos de vida marinha.

Entre janeiro e maio, o arquipélago entra na rota dos veranistas de todo o mundo, pois o sol banha o território, alcançando facilmente a marca de 28º C no termômetro. Nesse clima, praia é uma boa pedida - Carenage Bay, Macqueripe, Pigeon Point, Sandy Point, King’s Bay e Man o’ War Bay estão entre as principais. Por lá, elas são visitadas não só para garantir a cor dourada na pele, mas também para nadar com tartarugas e praticar esportes aquáticos como surfe e mergulho.

Atração à parte, a observação de pássaros chama a atenção dos amantes da atividade. Isso porque, no arquipélago vivem 430 espécies de aves. Para reforçar o título de santuário ecológico, existem cerca de 108 tipos de mamíferos, 55 répteis, 25 anfíbios e 617 espécies de borboletas.

Cerca de 1,3 milhão de habitantes com ascendência africana e indiana vivem neste paraíso caribenho descoberto em 1498 por Cristóvão Colombo. Depois de ficar sob domínio espanhol, em 1767 os britânicos assumiram o controle de Trinidad e Tobago, que só desfrutou de sua independência em 1962, ganhando título de república 14 anos mais tarde e carregando consigo o idioma inglês, um dos traços do comando da Grã-Bretanha.

Hospedagem e alimentação
O estilo do destino se estende aos hotéis, com requintada arquitetura e serviços completos. Nessa levada está o Normandie, empreendimento em estilo boutique localizado na capital. São 70 quartos divididos em cinco alas, sete salas de reuniões e conferências, restaurante, piscina e local para show e exposições. Diárias custam a partir de R$ 320, por pessoa em quarto de casal.

A cozinha de Trinidad e Tobago é tão multifacetada quanto a mistura de seus habitantes, os trinitários. A influência espanhola pode ser provada no pelau, um prato crioulo - semelhante à paella - que leva arroz, ervilhas e carne. Os escravos africanos deixaram a sua própria marca com a adição de inhame à gastronomia. Temperos indianos e chineses dão o toque especial.

Degustar o sabor típico e ainda apreciar o mar caribenho é possível no restaurante da Marina CrewsInn, em Pointe Gourde. Apesar de a moeda oficial ser o dólar de Trinidad e Tobago, a conta é cobrada em dólar norte-americano. No menu, figuram anéis de lula empanados fritos com molho tártaro, camarões salteados com molho de ervas locais servidos com arroz amarelo ou macarrão linguini, além de linguiça de porco espanhol temperada com páprica defumada. Os pratos custam até US$ 295, aproximadamente R$ 600.

Fonte: Agência Hélice Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade