Transtornos de ansiedade podem afetar saúde bucal

Estudos indicam que pessoas com o distúrbio tendem a roer as unhas e a desenvolver bruxismo

27 abr 2017
08h00

Transtorno que atinge aproximadamente uma em cada seis pessoas em todo o mundo, a ansiedade causa diversos prejuízos à vida do indivíduo. Estresse, insônia e nervosismo são efeitos muito conhecidos, mas você sabia que o problema também pode afetar a saúde bucal?

Frequentemente, quem sofre com o distúrbio tem a mania de roer as unhas ou morder tampa de canetas, além de ter mais chances de desenvolver o bruxismo, hábito de ranger ou apertar fortemente os dentes - principalmente durante o sono.

Foto: Voyagerix / Shutterstock.com

De acordo com um estudo israelense, realizado na Universidade de Tel Aviv, o bruxismo está constantemente associado à ansiedade. Pode até soar inofensiva, mas essa prática é capaz de deixar os dentes doloridos, soltos e muito desgastados. Em alguns casos mais graves, pode causar sérios danos à mastigação e a destruição do osso circunvizinho ou do tecido da gengiva. Problemas na articulação da mandíbula, como a síndrome da articulação têmporo-mandibular (ATM), também podem ser resultado do bruxismo.

Caso a ansiedade seja diagnosticada, é fundamental buscar ajuda de um cirurgião-dentista para avaliar a necessidade de um tratamento. Além da dor, sintomas como enxaqueca, insônia, excesso de sensibilidade dentária e até mesmo fratura dental podem indicar a desordem funcional.

Tratamento
O principal tratamento do bruxismo é a fisioterapia associada ao uso de uma placa miorrelaxante durante o sono. Mas quem não conseguir se adaptar ao uso da placa, pode optar pela toxina botulínica, outra forma de tratar o problema. Ao impedir que os músculos recebam estímulos, a substância diminui a contração muscular. Apesar de ser um método mais invasivo, seu efeito é reversível e tem sido cada vez mais adotado pelos cirurgiões-dentistas.

Fonte: FF

compartilhe

publicidade
publicidade