PUBLICIDADE

Rio de Janeiro enfrenta epidemia de dengue, decreta governador

Estado registrou 49.405 casos prováveis de dengue e confirmou quatro óbitos; em todo o ano de 2023, foram 51.501 notificações

21 fev 2024 - 17h56
(atualizado às 18h25)
Compartilhar
Exibir comentários
Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue
Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue
Foto: iStock

O governo do Rio de Janeiro decretou, nesta quarta-feira, 21, que a situação de alta de casos de dengue ganhou status de epidemia. A decisão ocorre após avanço da infecção no Estado, que, agora, enfrenta uma incidência de 308 casos por 100 mil habitantes.

Ao todo, o Estado registrou 49.405 casos prováveis de dengue e confirmou quatro óbitos. Os dados, compilados até 19 de janeiro, quase alcançam as 51.501 notificações registradas em todo ano de 2023. "Em mais de 60 cidades há aumento dos casos da dengue por três semanas consecutivas" destacou o governador Cláudio Castro, em coletiva de imprensa.

De acordo com ele, o decreto agiliza a compra de insumos, diminui a burocracia e permite atuar de forma mais precisa e segura. Nesse sentido, anunciou a criação do Observatório Dengue RJ, que, segundo o governo, utiliza "tecnologia de ponta" e uma equipe técnica de plantão no Centro de Inteligência em Saúde (CIS), dedicada a monitorar, apoiar e dar respostas rápidas às emergências relacionadas à dengue.

O governo também vai ampliar as salas de hidratação em 11 Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) estaduais. A Secretaria de Saúde montou polos de hidratação em 11 municípios, para onde enviou insumos, medicamentos e equipamentos. A dengue não tem um tratamento específico, mas um protocolo de hidratação vigorosa salva vidas.

Quais são os melhores repelentes para se proteger da dengue? Quais são os melhores repelentes para se proteger da dengue?

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade