PUBLICIDADE

'Pernas de morango': como se livrar dos poros escuros 

A queratose pilar pode ocorrer nas pernas por conta de poros abertos contendo óleo, sujeira ou bactérias após a depilação

26 jan 2024 - 06h15
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: Adobe Stock / Montagem Homework

A beleza das pernas é um assunto ainda mais comum no verão, temporada em que as roupas são geralmente mais curtas. Mas isso não é tão fácil para um grupo de pessoas que sofre com um problema comum nas pernas, quando surgem manchas escuras e pontos pretos semelhantes a sementes de morango. 

“Muitas pessoas apelidaram essa alteração como ‘pernas de morango’, pois ela exemplifica o termo médico, que é queratose pilar. Trata-se na verdade de poros abertos contendo óleo, sujeira ou bactérias, que surgem geralmente após a depilação”, afirma o dermatologista Renato Soriani, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). 

“Embora inofensivas, as pernas de morango são, infelizmente, muito comuns e desagradáveis esteticamente. Mas elas são fáceis de se prevenir e também são tratáveis”, completa o médico. 

Uma das formas menos agressivas de tratamento é o Hydrabody, versão corporal recém-chegado ao Brasil da hidrodermoabrasão do equipamento Hydrafacial. 

“Ele traz o mesmo sistema Vortex-Fusion presente nas ponteiras faciais. O design espiral exclusivo da tecnologia é capaz de gerar um efeito de vórtice que, combinado à tecnologia de sucção a vácuo do equipamento, consegue expelir e remover facilmente as impurezas da pele enquanto fornece soluções hidratantes e nutritivas”, explica o médico.

Acúmulo de queratina

O dermatologista explica que a queratose pilar ocorre quando a pele cria um acúmulo de uma proteína chamada queratina – o mesmo bloco de construção para cabelo, pele e unhas –, que cria um tampão que bloqueia o folículo capilar, levando a pequenas saliências. 

“O tampão também pode desencadear inflamação na pele, que é o que causa a vermelhidão ao redor de cada folículo piloso”, explica o médico. 

Além disso, os folículos capilares podem ficar irritados com o suor e a fricção, portanto, usar roupas largas e manter a pele fresca e seca pode ajudar. Em alguns casos, as manchas individuais podem ficar inflamadas: “Então não mexa nessas manchas, pois isso pode causar irritação e até mesmo cicatrizes permanentes”, diz o médico.

A queratose pilar

Segundo Renato, a queratose pilar se manifesta com mais frequência na parte de trás dos braços, mas muitas pessoas também podem ter saliências pequenas e duras nas coxas, pernas e até mesmo nas costas. A foliculite é outra condição que pode ter uma aparência semelhante e é desencadeada por folículos pilosos inflamados e irritados nas coxas e pernas. 

“Ambas as condições são muito comuns e não são perigosas, mas às vezes podem causar coceira ou dor. No entanto, as pessoas geralmente se incomodam apenas com a aparência estética”, diz o médico. “Pessoas com pele sensível, como aquelas com eczema, são mais propensas a ter e apresentar sintomas de queratose pilar”, afirma.

No tratamento com Hydrabody, o médico diz que, em um primeiro momento, é realizado um processo de limpeza; logo após, entra em cena o peeling de Glysal, com ácido glicólico e salicílico, que, segundo o médico, limpa profundamente e ajuda no descongestionamento da pele. 

“Em seguida, selecionamos o booster apropriado para a indicação da paciente, podendo ser Britenol para amenizar e melhorar as pigmentações por conta da inflamação, ou Dermabiulder para infusão de vitamina C, hidratação intensiva e melhora da qualidade da pele”, explica Renato. 

Melhorando a circulação sanguínea

A tecnologia também pode ajudar a melhorar a circulação sanguínea, promovendo uma pele mais saudável. “Usamos luzes Led de cores azuis ou vermelhas, a depender da indicação do paciente, visto que a cor azul auxilia no combate às bactérias e a cor vermelha na neocolagênese”, diz Renato. 

A aplicação subsequente do poderoso antioxidante Antiox nutre e acalma a pele, já que conta com nutrientes, antioxidantes e calmantes à base de algas marinhas e mentol. 

“Essa é considerada uma tecnologia de ponta que promove uma limpeza profunda, esfolia a pele, tem ação do peeling e hidratação com boosters; com isso, a melhora da queratose é gradativa”, diz o médico. “Esse é um procedimento que deve ser feito mensalmente e combina as melhores estratégias (limpeza, esfoliação, hidratação, estímulo à renovação celular, ação antibacteriana e anti-inflamatória) para tratar a queratose pilar.”

O médico diz que a hidratação da pele é fundamental. “Para prevenir, usar um creme suave ao se depilar e uma navalha ou depilador com menos lâminas (duas lâminas são o ideal) para evitar mais irritação são aconselháveis. Depois, aplique um creme hidratante com ingredientes como aveia coloidal ou ceramidas, que ajudam a acalmar e proteger a pele para minimizar o aparecimento de manchas escuras”, afirma. 

“Cuidado com os cremes mais pesados com óleo mineral, pois eles obstruem os poros. O erro mais comum é tentar esfregar ‘os caroços’ ou usar uma bucha áspera para esfoliar. Embora essa técnica seja uma correção temporária - ela desmembra os tampões de queratina – a esfoliação áspera pode inflamar mais a pele e o pelo, causando vermelhidão e tornando a condição ainda mais perceptível”, acrescenta o médico. 

“O uso contínuo de cremes e loções certamente ajudará a suavizar a pele e minimizar a vermelhidão, e pode curar pernas de morango com o tempo. No entanto, podem reaparecer assim que o tratamento for interrompido. Isso porque é uma condição genética”, finaliza ele.

(*) HOMEWORK inspira transformação no mundo do trabalho, nos negócios, na sociedade. É criação da Compasso, agência de conteúdo e conexão. 

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade