PUBLICIDADE

Pelos fora de controle: as mulheres e o hirsutismo

Endocrinologista explica as principais causas e os tratamentos da condição que causa um crescimento excessivo de pelos

19 abr 2024 - 06h35
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
O hirsutismo é um distúrbio que sinaliza desequilíbrios hormonais que podem afetar a saúde mental das mulheres, além de causar infertilidade. O tratamento inclui mudança de estilo de vida, medicamentos ou depilação, dependendo da causa.
Pelos fora de controle: as mulheres e o hirsutismo:

Durante anos, o tema dos pelos tem sido um tabu desmistificado e amplamente discutido entre mulheres, refletindo preocupações sociais e estéticas. No entanto, quando se observa um crescimento excessivo de pelos em corpos do sexo feminino, pode-se estar diante de uma condição que transcende a discussão cultural ou estética. O hirsutismo é um distúrbio que não só desafia as normas sociais, mas sinaliza possíveis desequilíbrios que exigem acompanhamento médico.

De acordo com Luciana Mela Umeda, médica endocrinologista e professora doutora do curso de Medicina da Universidade Cidade de São Paulo (UNICID), os principais sintomas são aumento de pelos na região das costas, rosto, buço, queixo, ao redor dos mamilos, nádegas e abdômen. Geralmente os pelos são abundantes e grossos, podendo causar constrangimento e desconforto.

“São várias as causas do hirsutismo, entres as mais comuns podemos citar os fatores genéticos, que são ligados a alguns grupos étnicos específicos como mediterrâneos, hispânicos, do sul da Ásia ou do Oriente Médio; o uso de medicamentos que contêm corticoides e esteroides anabolizantes e as alterações hormonais como a síndrome dos ovários policísticos, obesidade, resistência à insulina, hiperplasia adrenal congênita, Síndrome de Cushing e alguns tumores produtores de andrógenos”, cita.

Cada caso é diferente

Reconhecendo a diversidade das causas do hirsutismo, a abordagem para seu tratamento exige uma compreensão holística e individualizada de cada caso. Se a paciente apresentar indícios de obesidade é necessário focar na perda de peso e mudança do estilo de vida. Se tiver Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP), o foco é na perda de peso e no uso de medicamentos que melhorem a resistência à insulina e estimulam a ovulação.

“A SOP é uma patologia muito prevalente. Sabemos que de 70 a 80% das mulheres com SOP cursam com hirsutismo. Elas podem ter dificuldade para engravidar devido a dificuldade na ovulação, resistência à ação da insulina e pelo aumento de andrógenos. Portanto, pode haver uma forte correlação entre o hirsutismo e infertilidade, e o tratamento precoce pode reverter esse achado”, afirma.

Ainda existem outros fatores: causas tumorais, nas quais é preciso detectar o local do tumor; por medicamentos, quando o mais indicado é suspendê-los, se possível; e nos casos de origem genética, indicado o uso da depilação, eletrólise ou tratamento a laser.

Caso identificado alguns dos sintomas, a endocrinologista recomenda a busca por um médico especialista para realizar um tratamento, já que, quando não tratado, o hirsutismo pode afetar a saúde mental trazendo estresse emocional, depressão e ansiedade. 

Além disso, quando causada pelo excesso de andrógenos (hormônios masculinos), podem apresentar dificuldades para engravidar (infertilidade), voz grave, diminuição do tamanho dos seios, aumento da musculatura e do clitóris e acne.

(*) HOMEWORK inspira transformação no mundo do trabalho, nos negócios, na sociedade. É criação da Compasso, agência de conteúdo e conexão.

Homework Homework
Compartilhar
Publicidade
Publicidade