PUBLICIDADE

Neurologista aponta riscos do Venvanse à saúde

Anfetamina prescrita para TDAH é frequentemente usada como um estimulante. Conheça os riscos do Venvanse

20 mai 2024 - 19h21
(atualizado em 21/5/2024 às 21h58)
Compartilhar
Exibir comentários

O medicamento Venvanse, nome comercial do dimesilato de lisdexanfetamina, está liberado pela Anvisa para venda no Brasil desde 2010. Contudo, nos últimos anos, especialistas de saúde têm acendido um alerta sobre o mau uso da medicação - o que pode oferecer sérios riscos à saúde.

Neurologista aponta riscos do Venvanse à saúde
Neurologista aponta riscos do Venvanse à saúde
Foto: Shutterstock / Saúde em Dia

O Venvanse é inicialmente indicado para o TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade). Além disso, a anfetamina também serve para tratar transtornos alimentares. Apesar disso, muitas pessoas (especialmente jovens) utilizam a medicação como um estimulante.

De acordo com dados obtidos pela Veja, a venda do medicamento no país dobrou entre 2020 e 2022: passou de 66.533 para 137.468 caixas anuais. E ele não é barato: uma caixa com 28 cápsulas de 50 miligramas custa por volta de 500 reais. Com a tendência de uso psicoestimulante, os usuários de Venvanse muitas vezes o adquirem de formas ilícitas, semelhante à cocaína e à heroína.

Os riscos do Venvanse

O neurologista e neurocirurgião do Hospital Israelita Albert Einstein, Dr. Wanderley Cerqueira de Lima, aponta que o medicamento tem efeito semelhante ao de outras anfetaminas. 

"Elas levam a uma sensação de bem-estar, aumentam a energia, o otimismo e a agitação psicomotora. Mas também podem levar à intoxicação, paranoia grave, psicose. Às vezes aliviam também a insônia e podem dar uma sensação de estar 'antenado'", alerta.

Além disso, o Venvanse aumenta a pressão arterial, o que pode levar ao infarto agudo do miocárdio, causa alterações no sono, eleva a fadiga, causa sobrecarga cardíaca e tolerância.

Sintomas de dependência

Por ser uma substância psicoativa, o medicamento ativa impulsos de recompensa no cérebro, o que tem o potencial de causar dependência com facilidade. "Cada vez mais você vai precisar de doses maiores, seja qual for a finalidade, para a rotina do trabalho, para tomar de forma criativa ou para cortar o apetite", adverte o médico.

O Venvanse também pode causar o efeito rebote, ainda mais grave do que no caso de outras drogas. "A anfetamina leva a uma intoxicação mais duradoura do que a própria cocaína. Quando são usadas essas substâncias, o humor torna-se elevado, mas pode ser seguido de uma apatia, uma sonolência, depressão ou abstinência. Eventualmente usando ela como supressão do apetite, a anfetamina vai anteceder aquela forma voraz que vem a seguir (a compulsão alimentar)", completa o médico do Hospital Albert Einstein.

Alerta sobre a automedicação

O especialista reforça os riscos de tomar o medicamento sem necessidade ou orientação médica. "Essa droga não pode ser usada fora da prescrição e nunca dessa forma recreativa, achando que você vai melhorar o seu trabalho, vai resolver os seus problemas no dia a dia ou resolver a sua apatia. Não é o caso. O remédio pode inclusive matar", adverte.

Saúde em Dia
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade