PUBLICIDADE

Não consegue evoluir? A culpa pode ser do cortisol; entenda o hormônio

Esteroide liberado pelo organismo em situações de estresse pode comprometer o emagrecimento e o ganho de massa muscular

28 jun 2022 - 12h06
Ver comentários
Entenda o cortisol
Entenda o cortisol
Foto: Shutterstock / Sport Life

O cortisol é um hormônio importante, produzido pelo organismo para deixar seu corpo em estado de alerta durante situações desafiadoras. No entanto, quando seus níveis passam do limite desejado, ele pode provocar inúmeros prejuízos para a saúde e o bem-estar.

"Também chamado de 'hormônio do estresse', o cortisol prepara o nosso corpo para situações de muita tensão, seja para enfrentar o perigo ou para fugir dele. Este esteroide está diretamente ligado as várias atividades regulatórias de diferentes sistemas. Com ele, vem junto efeitos importantes na regulação do nosso organismo e, por isso, é necessário que ele esteja em equilíbrio", explica a Dra. Gabriela Iervolino, médica endocrinologista da Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM).

Sabe aquele momento em que você se vê realizando tudo que é necessário para evoluir o condicionamento físico e, mesmo assim, não sai do lugar? Treina todos os dias e não erra na dieta, mas não consegue progredir rumo aos objetivos fitness. O grande vilão dessa história pode ser, justamente, o cortisol.

"Caso [o cortisol] esteja muito baixo, por exemplo, ele impactará negativamente no corpo, causando perda de peso, fadiga e anemia. Por outro lado, o nível alto de cortisol também é extremamente prejudicial, principalmente para quem está tentando emagrecer", diz a médica.

Segundo a Dra. Iervolino, os níveis desregulados de cortisol podem atrapalhar o desenvolvimento do condicionamento físico e prejudicar a saúde do indivíduo, causando sintomas como o aumento da fome, instabilidade da glicemia e aumento da pressão arterial.

Como controlar os níveis de cortisol

Para manter os níveis de cortisol dentro do aceitável, a melhor alternativa é encontrar válvulas de escape para situações de estresse no dia a dia. Realizar atividades físicas regulares, por exemplo, é uma boa opção. Mas, exagerar na prática esportiva pode gerar um estresse desnecessário para o organismo. A obsessão por emagrecer ou ganhar massa muscular rápido também podem se tornar gatilhos para o estresse. Por isso, o ideal é ter parcimônia e evoluir sem pressa.

"Uma outra forma de regular o cortisol, quando estamos muito estressados, são as técnicas de relaxamento com exercícios de respiração. Uma meditação diária, mesmo que por dez minutos, em que conseguimos elevar a nossa mente para um estado mais tranquilo, deixando o corpo mais relaxado, também conta muito para a manutenção dos bons níveis de cortisol", recomenda a Dra. Iervolino.

"Quando se dorme mal, você acaba ficando com o cortisol muito elevado no dia seguinte, e é por isso que ficamos com muito mais fome e desejamos comer, principalmente, coisas mais doces e calóricas. A aromaterapia também ajuda no relaxamento, na hora de dormir. Enfim, há várias maneiras de contornarmos as situações estressantes do dia-a-dia", completa.

A receita, portanto, para manter os níveis de cortisol dentro de um parâmetro saudável, é ter uma rotina equilibrada. Driblando situações de estresse, evitando gatilhos e apostando em uma vida ativa, mas sem exageros.

"Ao controlar o cortisol podemos ter uma rotina com uma alimentação mais saudável, afinal, o cortisol alto vai nos levar a comer alimentos mais gordurosos, mais calóricos. Então, consequentemente, ao controlar estes níveis, também conseguimos emagrecer de maneira mais saudável, sem pressa, com foco na mudança do estilo de vida e sabendo que esta mudança não é passageira, mas sim, para toda a vida e, justamente por isso, deve ser acompanhada por um profissional, que vai te guiar pelo caminho certo, vai te incentivar e não deixará você cair, que é o mais importante", finaliza a Dra. Iervolino.

Sport Life
Publicidade
Publicidade