PUBLICIDADE
URGENTE
Saiba como doar qualquer valor para o PIX oficial do Rio Grande do Sul

Mulher tem pernas e braço amputados após dar à luz a gêmeos: 'Implorei para que não fizessem isso'

Khedidja Teape conta sua história de superação e luta pela conscientização da sepse

13 mai 2024 - 14h46
Compartilhar
Exibir comentários
Resumo
Khedidja Teape desenvolveu sepse pós-parto e teve que ser submetida a amputações na Inglaterra. Após isso, ela alerta outras mães para os perigos da doença.

Khedidja Teape, de 29 anos, desenvolveu sepse pós-parto e ficou a poucos minutos da morte. Ela teve as pernas, o braço esquerdo, uma mão e dedos amputados depois de dar à luz a gêmeos no sudoeste de Londres, na Inglaterra.

Foto: True Life Stories

Em entrevista ao jornal inglês The Sun, Teape revelou que resolveu contar sua experiência para alertar sobre os perigos da doença desenvolvida no pós-parto. Ela já era mãe de um menino e de uma menina quando descobriu a gravidez de gêmeos.

Sonho virou pesadelo

O parto de Zakari e Zalaysia foi natural e sem complicações. No dia seguinte, a família recebeu alta do hospital e já em casa, Khedidja sentiu a exaustão por cuidar dos recém-nascidos e fortes dores de estômago.

“No dia seguinte, as parteiras vieram fazer o check-up diário. Eu disse a eles que meu estômago ainda estava doendo e que não me sentia bem. Eles atribuíram a culpa ao meu parto e me disseram para tomar analgésicos. Mas depois disso as dores pioraram”, conta.

Khedidja detalha que chegou a vomitar, ter diarreia, perda de apetite e fortes dores no corpo. Ela diz que tremia constantemente e uma semana depois de dar à luz, sentia que ia morrer.

“Mesmo que as parteiras tenham me dito que eu estava bem, ouvi meu instinto e chamei uma ambulância. Se eu não tivesse chamado uma ambulância naquele momento, os médicos disseram que eu poderia ter morrido durante o sono”, relata a mãe de quatro filhos.

Ao chegar no hospital foi constatado que a frequência cardíaca de Khedidja estava perigosamente alta, sua pressão arterial estava caindo e ela perdia e recuperava a consciência. Na UTI, os médicos sugeriram que ela poderia ter um abscesso dentro do útero e que era necessária uma cirurgia para drená-lo.

Quando Khedidja abriu os olhos novamente seu marido Shawn a informou que ela estava lutando contra uma infecção que evoluiu para sepse pós-parto.

“Todos os meus membros e meu nariz estavam pretos. Em estado de choque, demorei dias para aceitar. Eu não entendia por que isso tinha acontecido comigo”, lembra Khedidja.

Meses depois, a empresária foi informada que precisaria amputar os membros. “Implorei para que não fizessem isso e que primeiro vissem o quanto eu curava, mas eles disseram que não tinham escolha porque a pele estava morta”.

Khedidja diz que visitou o centro de reabilitação e conheceu outros amputados que a ajudaram a se sentir melhor. A amputação aconteceu no mês de agosto de 2023. 

“Eles decidiram fazer isso em duas partes. No primeiro amputaram minhas pernas, o braço esquerdo, uma mão e os dedos da outra. Duas semanas depois, fiz outra operação. Eles fizeram os cotos e amputaram mais partes mortas do meu braço esquerdo”, relata a empresária.

Foto: True Life Stories

Em outubro daquele ano, Khedidja foi transferida para um centro de reabilitação, onde aprendeu exercícios e se adaptou ao novo corpo. Ela recebeu próteses adaptadas e depois de quatro meses no centro voltou para casa.

“Me exercito muito durante a semana, ficando mais forte. Agora posso andar de forma independente e estou indo muito bem. Meus gêmeos estão saudáveis e felizes. Posso até carregá-los agora na dobra do braço. Minha vida pode ter virado de cabeça para baixo, mas pelo menos meus bebês e meus filhos mais velhos ainda têm a mãe. Quero que haja mais conscientização sobre a sepse”.

Quais são os sintomas da sepse?

De acordo com Serviço Nacional de Saúde, os sintomas de sepse em um adulto incluem:

  • Agir confuso, com fala arrastada ou sem fazer sentido
  • Pele, lábios ou língua azuis, acinzentadas, pálidas ou manchadas – na pele marrom ou preta, isso pode ser mais fácil de ver nas palmas das mãos ou nas solas dos pés
  • Uma erupção cutânea que não desaparece quando você rola um copo sobre ela, o mesmo que meningite
  • Dificuldade em respirar, falta de ar ou respiração muito rápida

Os sintomas em uma criança incluem:

  • Pele, lábios ou língua azuis, acinzentadas, pálidas ou manchadas – na pele marrom ou preta, isso pode ser mais fácil de ver nas palmas das mãos ou nas solas dos pés
  • Uma erupção cutânea que não desaparece quando você rola um copo sobre ela, o mesmo que meningite
  • Dificuldade em respirar (você pode notar grunhidos ou estômago sugando sob a caixa torácica), falta de ar ou respiração muito rápida
  • Um choro fraco e agudo que não é o choro normal
  • Não respondendo como normalmente fazem, ou não estão interessados em alimentação ou atividades normais
  • Estar com mais sono do que o normal ou ter dificuldade em acordar
Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade