2 eventos ao vivo

Esclerose múltipla: sintomas, medicamentos e alimentação

11 jan 2019
07h11
  • separator
  • comentários

Os pacientes que sofrem com esclerose múltipla remitente recorrente (EMRR) contam com um novo medicamento disponível na rede pública. Além da versão de 20 mg, o Sistema Único de Saúde incorporou o acetato de glatirâmer (Copaxone) 40 mg. A mudança tem o objetivo de reduzir o número de aplicações de sete para três doses por semana. 

A esclerose múltipla é uma doença inflamatória causada por danos na mielina, material que isola e protege os nervos. Ela atinge o sistema nervoso central e provoca distúrbios na comunicação entre o cérebro e o corpo.

Duas a três vezes mais frequentes em mulheres, a doença afeta normalmente adultos entre 18 e 55 anos de idade. Apesar disso, crianças e idosos também podem ser atingidos.

Números

Levantamentos comprovam que cerca de 85% dos pacientes com a doença são diagnosticados inicialmente com esclerose múltipla remitente recorrente. Os outros níveis da doença são secundariamente progressiva (EMSP) e primariamente progressiva (EMPP).

Estima-se que a cada 100 mil habitantes no mundo, 33 sofrem com a doença. No Brasil, aproximadamente 35 mil pessoas convivem com a esclerose múltipla. Atualmente, o SUS realiza o tratamento de aproximadamente 15 mil.

Sintomas

A fadiga é um dos sintomas mais comuns da doença. Entretanto, existem inúmeros outros, como visão turva, perda de força nos membros, instabilidade e sensações de formigamento.  A situação varia muito de paciente para paciente. Para alguns, a esclerose múltipla apresenta períodos de surtos e remissões. Já em outros a doença tem um padrão progressivo.

Medicamentos

Ainda não existe um medicamento capaz de curar a esclerose múltipla. Entretanto, os remédios disponíveis ajudam a controlar muitos sintomas da doença. 

Além do acetato de glatirâmer, outros medicamentos são utilizados para ajudar os pacientes. Entre eles estão: Ocrelizumabe, Lemtrada, Mitoxantrone e Tecfidera.

Dieta

Estudos ainda não identificaram uma dieta específica para pacientes que sofrem com esclerose múltipla. Entretanto, é recomendado manter uma aimentação balanceada, ajudando nos níveis de energia e na saúde em geral. Por isso, é ideal evitar gorduras e frituras, mantendo uma alimentação equilibrada com fibras, proteína, carboidrato e grãos.

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade