PUBLICIDADE

É possível reverter a vasectomia? Entenda as chances de sucesso

Médico afirma que a cirurgia de reversão de vasectomia é delicada. Saiba mais!

18 abr 2024 - 18h18
(atualizado às 18h38)
Compartilhar
Exibir comentários
A FIV é uma alternativa oferecida pela medicina para homens que fizeram a vasectomia e agora querem ter filhos biológicos |
A FIV é uma alternativa oferecida pela medicina para homens que fizeram a vasectomia e agora querem ter filhos biológicos |
Foto: freepik/Freepik / Boa Forma

A vasectomia é um método contraceptivo permanente que impede que os espermatozoides, produzidos no testículo, cheguem até o fluído seminal ejaculado durante o orgasmo, impossibilitando a fertilização do óvulo e, consequentemente a gravidez.

"É uma cirurgia que envolve a interrupção de um pedaço do ducto deferente, que é o responsável por levar os espermatozoides dos testículos para eles serem ejaculados através do pênis", explica o Dr. Rodrigo Spíndola, andrologista da Clínica Origen.

Mas afinal, se o homem mudar de ideia após a vasectomia e decidir ter filhos biológicos, será que é possível revertê-la?

É possível reverter a vasectomia?

Segundo o médico, sim, é possível fazer a reversão da vasectomia. Esse procedimento é realizado por uma microcirurgia e é considerado bastante delicado.

"A cirurgia de reversão da vasectomia dura um tempo prolongado, em torno de 3-4 horas, e é muito delicada. Isso porque, durante a intervenção, são manipuladas estruturas muito pequenas e frágeis, então, tem que ser tudo muito preciso e sem movimentos bruscos. A indicação envolve, além da decisão do casal, uma avaliação prévia das condições de saúde e da fertilidade de ambos os parceiros", destaca o Dr. Rodrigo.

"Do ponto de vista médico, durante a cirurgia, que não envolve estruturas vitais, o paciente não tem muito risco. Na verdade, os riscos são aqueles relacionados à qualquer outra cirurgia, por exemplo, hematomas, inchaços, infecções e reações adversas à anestesia, mas essas ocorrências são bem raras", completa.

Após a cirurgia, é recomendado tomar cuidado com a ferida no local, ficar em repouso por 7-10 dias, usar os analgésicos e antibióticos prescritos pelo médico e manter o acompanhamento clínico.

Além disso, para garantir a cicatrização adequada, é necessário ficar pelo menos 30 dias sem relações sexuais e sem ejacular.

"O primeiro espermograma após a reversão é feito em 30 dias, e se, por ventura, não houver espermatozoides nesse primeiro espermograma, a gente repete o exame depois de um tempo", conta ele.

Quais as chances de engravidar com cada método anticoncepcional? Quais as chances de engravidar com cada método anticoncepcional?

Chances de sucesso

As taxas de sucesso da reversão dependem de alguns fatores, sendo que o principal deles é o tempo decorrido desde a vasectomia.

Apesar de sempre ser possível reverter o procedimento, independente do tempo, pacientes com menos de 8 anos de vasectomia apresentam taxas acima de 90% de sucesso na reversão, enquanto acima de 10 anos, essas chances tendem a cair.

"O sucesso da reversão da vasectomia é ter espermatozoide após a ejaculação. Mesmo que o indivíduo ejacule 100 ou 200 espermatozoides, que, possivelmente, não vão ser suficientes para gerar um bebê de forma natural, a reversão foi feita com sucesso. Ou seja, o sucesso é definido com a passagem dos espermatozoides e não com a gravidez em si", lembra o andrologista.

"Outros aspectos que influenciam são as coisas que aconteceram após a vasectomia, por exemplo, infecções nos testículos, no epidídimo ou na próstata, uso de certas medicações e diagnóstico de câncer e quimioterapia. Nesses casos, o paciente pode não produzir mais espermatozoide e a reversão, por não ser eficaz, não é recomendada", acrescenta o especialista.

Ele ainda afirma que a experiência do profissional ao fazer o procedimento também pode afetar o sucesso da reversão. "É necessário que o cirurgião tenha experiência e que toda a equipe seja preparada tecnicamente", revela.

Fertilização In Vitro

Para homens que não podem ou não querem reverter a vasectomia, mas desejam ter filhos biológicos, uma alternativa é a fertilização in vitro. Afinal, a vasectomia não atrapalha a produção dos espermatozoides.

A coleta é realizada por meio de uma punção aspirativa do epidídimo ou de biópsia testicular, com chances de sucesso superiores a 95% na recuperação dos espermatozoides.

A escolha entre a reversão e a FIV é influenciada por vários fatores, incluindo o tempo de obstrução, a idade do paciente, expectativas do casal e a presença de condições que afetam a fertilidade feminina.

"A avaliação do eixo hormonal e da saúde reprodutiva do homem é fundamental para que o tratamento dê certo. Se o paciente estava usando uma reposição hormonal, por exemplo, é necessário um tratamento prévio", finaliza.

Boa Forma
Compartilhar
Publicidade
Publicidade