PUBLICIDADE

Ana Maria Braga passa por cirurgia de catarata; entenda mais sobre a doença

A apresentadora explica que "já está recuperada" e que cirurgia "pareceu um milagre"

15 set 2021 08h05
| atualizado em 16/9/2021 às 12h05
ver comentários
Publicidade
Ana Maria Braga passa por cirurgia de catarata
Ana Maria Braga passa por cirurgia de catarata
Foto: Reprodução / Instagram @anamaria16 / Saúde em Dia

Ana Maria Braga, de 72 anos, anunciou em suas redes sociais que passou por uma cirurgia de catarata, feita na última sexta-feira (03). A apresentadora já está recuperada e na legenda da foto publicada no Instagram disse em um tom humorado: "Pirata moderna, só que não".

Com um tampão transparente em um dos olhos, ela complementou na legenda: "Eu achava que catarata era uma coisa de outro mundo, mas é uma cirurgia de 15 ou 20 minutos".

Além disso, a apresentadora já havia anunciado, no "Mais Você", que faria uma cirurgia nos olhos e que não iria mais usar óculos. "Não que eu não goste deles. Adorei me divertir com os diferentes tipos de lentes e armações que eu usei... Mas o fato é que eu não estava acostumada a carregar mais um acessório", disse.

Aliás, com toda a repercussão sobre caso de Ana Maria na internet após as declarações sobre a cirurgia, por acaso você sabe o que define catarata?

Para contextualizar, Claudia Del Claro, oftalmologista, explica que os olhos possuem uma lente chamada cristalino, que fica atrás da íris e da pupila, permitindo que as imagens foquem claramente na retina, que fica no fundo dos olhos. "A catarata é justamente a opacificação do cristalino, que acontecerá em todas as pessoas a partir de uma certa idade", clarifica.

Sintomas

De acordo com Claudia, uma das primeiras queixas é a dificuldade para dirigir a noite e a leitura de legendas de programas audiovisuais. "Com a evolução e o crescimento da catarata, a visão vai se tornando mais difícil tanto para longe, quanto para perto, até em estados avançadíssimos comprometer totalmente a visão", explica.

Por isso, toda pessoa deve consultar um especialista - no caso, um oftalmologista - anualmente para avaliação. "E em casos de catarata, muitas vezes pedimos avaliação semestral", diz.

Ademais, caso possua algum desses sintomas, não se desespere! A catarata não é considerada grave, pois a baixa visual provocada pela doença é totalmente reversível.

"Estima-se que sejam realizadas 20 milhões de cirurgias de catarata por ano em todo mundo, o que a torna um dos procedimentos mais realizados e atualmente um dos mais seguros", esclarece.

Tratamento

Segundo a oftalmologista, o tratamento é apenas cirúrgico e a técnica se chama facoemulsificação

"Hoje em dia, a cirurgia é rápida e não exige internação. Usa-se um anestésico local e o corte é bem pequeno, tanto que pontos nem são necessários. Dessa forma, a catarata é fragmentada dentro do olho em vários pedacinhos e depois aspirada. Em seguida é implantada uma lente intraocular", clarifica.

Porém, lembre-se que apenas um olho pode ser operado por vez. "Geralmente dou um intervalo de sete dias para operar o segundo olho", explica.

Além disso, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a catarata é a maior causa de cegueira reversível no mundo todo. Porém, se não operada, pode levar à cegueira. Dessa forma, não pense duas vezes antes de checar sua saúde ocular com um especialista.

E sobre os perigos, assim como qualquer procedimento cirúrgico, a remoção da catarata tem riscos. Mas, segundo Claudia, graças aos avanços tecnológicos e as técnicas cirúrgicas, as hipóteses de complicações são mínimas.

Recuperação da cirurgia

Fique tranquilo(a) porque a recuperação é bem rápida e geralmente não impacta muito na rotina diária do paciente, visto que existem pouquíssimas restrições no pós-operatório, sendo elas:

  • Não carregar peso por 15 dias
  • Não entrar no mar ou piscina por 30 dias
  • Usar os colírios recomendados em torno de 40 dias

Afinal, ela é comum a partir de qual idade?

De acordo com a oftalmologista, a catarata aparece com o envelhecimento, geralmente a partir dos 60 anos. Pode classificar quatro tipos:

1- Congênita: quando se nasce com a catarata.

2- Senil: após os 60 anos

3- Secundária: quando aparece em pessoas mais jovens.

A secundária não é tão comum e geralmente é por consequência de alguns destes fatores:

  • Fumo
  • Miopia alta
  • Excesso de exposição à luz solar ou radiação infravermelha
  • Uso por longo tempo de corticoides (hormônios esteroides)
  • Histórico familiar
  • Diabetes
  • Cirurgia ocular prévia
  • Traumas oculares

Fonte: Claudia Del Claro, oftalmologista especialista em lentes de contato e Chefe do setor de lentes de contato do hospital de olhos de Florianópolis. 

Saúde em Dia
Publicidade
Publicidade