PUBLICIDADE

Abacate aumenta ou diminui o colesterol? Veja os reais benefícios da fruta

Pesquisadores acompanharam mais de 55 mil pessoas em uma análise que abrangeu 10 estudos

1 mar 2024 - 10h32
Compartilhar
Exibir comentários
Foto: iStock

O abacate tem sido alvo de debates sobre seus potenciais benefícios à saúde, especialmente em relação ao coração. Durante décadas, sua reputação oscilou entre ser considerado um vilão das dietas devido ao seu teor de gordura e ser aclamado como um superalimento devido aos seus nutrientes. Um estudo publicado no jornal da Academy of Nutrition and Dietetics (AND), revisou os efeitos da ingestão da fruta nos fatores de risco cardiometabólicos.

De acordo com os relatórios, indivíduos que consomem abacate na Austrália e nos Estados Unidos tendem a ter uma ingestão mais elevada de ácidos graxos monoinsaturados e poli-insaturados, além de vitamina E, fibras, potássio e magnésio. Ao mesmo tempo, observa-se uma redução na ingestão de alimentos considerados não saudáveis.

Os pesquisadores conduziram uma análise que abrangeu 10 estudos, consistindo em um estudo prospectivo e nove ensaios clínicos randomizados. Esses ensaios envolveram 503 participantes, investigando os efeitos do consumo de abacate em uma variedade de resultados de saúde.

Dentre os participantes analisados, três estudos foram exclusivamente compostos por mulheres, enquanto quatro deles envolveram indivíduos com sobrepeso/obesidade. Dois estudos focaram em pessoas com colesterol alto, enquanto outros dois recrutaram participantes diabéticos com nível elevado de gordura no sangue.

Foto: iStock

Os períodos de estudo variaram de três a 24 semanas, durante os quais as quantidades de abacate administradas oscilaram entre 99 gramas e 330 gramas por dia. Além das dietas de intervenção e controle, algumas intervenções incluíram regimes moderados em gordura, dietas habituais, dietas ricas em ácidos graxos monoinsaturados e dietas com restrição calórica.

O estudo prospectivo, por sua vez, acompanhou mais de 55 mil participantes ao longo de um período de quatro a 11 anos.

Os resultados revelaram que não houve diferenças estatisticamente significativas no colesterol LDL (considerado "ruim") entre os grupos que consumiram abacate e os grupos de controle. 

No entanto, variações significativas foram observadas entre os subgrupos. Por exemplo, houve uma diminuição significativa do colesterol LDL no grupo que consumiu abacate em comparação com o grupo de indivíduos com hipercolesterolemia. Além disso, o colesterol total também foi significativamente menor entre os consumidores de abacate.

Não foram registradas diferenças estatisticamente significativas nos níveis de triglicerídeos (gordura) ou no colesterol HDL (considerado "bom") entre os grupos analisados.

7 bebidas para reduzir dores e inflamações nas articulações 7 bebidas para reduzir dores e inflamações nas articulações

Fonte: Redação Terra Você
Compartilhar
Publicidade
Publicidade