0

Conheça raças de pets com maior risco de doenças oculares

Piscadas ou lacrimejamento excessivo, dificuldade em abrir os olhos e secreção são sintomas de problemas nos olhos

24 jul 2014
11h37
  • separator
  • comentários

Assim como no mundo dos seres humanos, poder contar com diferentes especialistas da medicina também é essencial no universo dos cães e dos gatos, já que os problemas e as complicações que afetam a vida dos nossos bichinhos de estimação podem ser os mais variados possíveis.

Foto: Getty Images

Siga Terra Estilo no Twitter

Especialistas em cardiologia, exames de imagem e neurologia podem ser de grande ajuda no diagnóstico e no tratamento de diferentes enfermidades que possam surgir na vida dos pets, mas, mesmo assim, há um especialista de grande importância no mundo animal que ainda não recebe o reconhecimento merecido: o oftalmologista.

Responsável pela saúde ocular de cães e gatos, o oftalmologista veterinário pode ajudar muito na prevenção e no tratamento de doenças e complicações na região dos olhos dos animais que podem ser extremamente prejudiciais quando não investigadas - e que podem, inclusive, levar os pets a condições permanentes e nada agradáveis, como a cegueira. 

Embora todos os cães e gatos estejam sujeitos a desenvolver problemas oculares, há algumas raças específicas que contam com uma propensão maior a sofrer com esse tipo de complicação, sendo que a braquicefalia (focinho achatado) costuma ser uma condição que aumenta bastante as chances de um animal a desenvolver doenças nos olhos, já que, geralmente, os animais com essa característica também têm olhos proeminentes e que favorecem o aparecimento de disfunções na região.

Shih-tzu, pug, lhasa apso, boxer, bulldog e boston terrier são algumas das raças caninas que fazem parte do grupo que corre os maiores riscos de ter problemas oculares,  enquanto, no mundo felino, raças como persa ou exótico destacam uma propensão maior a ter tais complicações ao longo da vida, incluindo catarata, glaucoma, conjuntivite, úlcera de córnea, ceratoconjuntivite seca e doença as pálpebras.

Piscadas ou lacrimejamento excessivo, dificuldade em abrir os olhos, pupilas alteradas, presença de secreção, episódios de cegueiras, incômodo em ambientes muito claros e pálpebras irritadas são alguns dos sintomas mais clássicos e de alerta de que pode haver algo de errado com a região ocular do seu pet. Portanto, ao notar esse tipo de sinal no seu bicho de estimação, é fundamental que um oftalmologista veterinário seja consultado, pois, somente ele terá a capacidade de diagnosticar e tratar da melhor maneira a complicação que estiver afetando o animal.

Clique no link e saiba onde encontrar profissionais veterinários especialistas em oftalmologia.

Matéria validada pelo Dr. Eduardo Toshio (CRMV – SP 15.821), Médico Veterinário formado pela Universidade de São Paulo (USP), com mestrado em Cirurgia Cardio-Torácica na USP e Docente do Curso de Especialização em Oftalmologia Veterinária- ANCLIVEPA – SP. Responsável pelo Setor de Cirurgia Ortopédica e Oftalmológica em Hospital Veterinário de São Paulo, atuando em cirurgia geral, ortopédica, torácica e vascular, oftalmologia clínica e cirúrgica e clínica geral. 

Curso de patologia veterinária de cães e gatos Curso de patologia veterinária de cães e gatos
Aprenda um pouco mais sobre a saúde de cães e gatos e saiba como cuidar melhor do seu amiguinho. Curso certificado pelo MEC, matricule-se já

Cachorro Gato
  • separator
  • comentários
publicidade